Jornalistas recebem recomendações para cobrir protestos
A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) publicou em seu site algumas recomendações para profissionais que farão a cobertura de protestos programados para esta quinta-feira, 20, no Brasil. As dicas foram, originalmente, proferidas pelo International News Safety Institute (Insi), e, conforme a entidade, devem ser adaptadas de acordo com as peculiaridades de cada veículo e jornalista. “É importante, ainda, que cada redação discuta normas de segurança antes de enviar as equipes para a rua”, registrou a Abraji. As recomendações estão separadas por três momentos – ‘Antes de sair a campo’, ‘Em campo’ e ‘Quando os ânimos se exaltam’. Conforme a associação, aspectos como manter a credencial de imprensa sempre à vista, informar autoridades sobre a cobertura, levar equipamentos de proteção e ter números de telefones de editor, advogado, entre outros, sempre à mão, são essenciais para preparar a cobertura. Durante os protestos, a Abraji indica não sair sozinho, procurar rotas de fuga e permanecer às margens da multidão. Além disso, a entidade registra que, caso a situação fique fora de controle, os profissionais devem evitar ficar próximo de cavalos e linha de tiro, e se movimentar contra o vento em caso de possível gás lacrimogênio.

Comentários