Como se fosse simples assim....

Leio que o prefeito de São Paulo Fernando Haddad propõe , com base em um “estudo” do Ibre órgão de pesquisa ligado à FGV, criar um novo imposto, a Cide municipal para subsidiar o transporte coletivo, acenando inclusive com uma espetacular redução da tarifa do transporte coletivo urbano.Haddad defende que se crie uma sobretaxa fiscal sobre a gasolina, no valor de R$ 0,50 por litro – quase 20% do preço atual. E já disserta com desenvoltura sobre os efeitos sociais e ambientais benéficos dessa política. Ou seja, a tese do prefeito é de que quem anda de carro paga mais para aqueles que preferirem o coletivo paguem menos. E ainda supõe que a demanda de transporte coletivo e do transporte individual não cresçam nem diminuam quando a passagem cair para menos da metade do preço atual e o litro da gasolina subir 20%. Algo muito improvável. Não é assim que se incentiva o uso do transporte coletivo. E supondo que de certo, que aconteça uma migração em massa para o transporte coletivo, o qual já está saturadíssimo, como fará o governo para atender a demanda ? Construam-se linhas de metrô, de VLT, dirá o prefeito. Quantos anos leva para que uma linha de metrô? E como a população encararia o aumento brusco da gasolina para arrecadar a tal Cide municipal?

Há muito tempo os governos deixaram de lado o transporte coletivo urbano. Um ônibus urbano custa média R$ 700 mil. Não há incentivos importantes, nem subsídios, os que existem não representam redução do custo operacional das empresas. No caso de SP o que há de concreto na ideia do prefeito é mais um imposto que vai ser pago pelo contribuinte.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS