Barroso manda investigar 'vazamento' de decisão sobre quebra do sigilo de Temer

A defesa de Michel Temer planeja reagir ao que considerou uma ofensiva do ministro Luís Roberto Barroso, que mandou abrir as contas bancárias do presidente e apurar suspeitas de vazamento de informações do inquérito que conduz no Supremo Tribunal Federal. Após dizer que os dados apontados pelo ministro foram encontrados no site do STF, os advogados questionarão o sigilo da investigação, argumentando que o presidente tem o direito de saber o que há contra ele.

Embora o Palácio do Planalto tenha prometido apresentar os extratos bancários de Temer, seus advogados também pretendem discutir a legalidade da ordem de Barroso, que se estende à movimentação financeira do presidente desde 2013.

Temer era vice de Dilma Rousseff (PT) na época. Segundo a Constituição, argumentam os advogados, ele não poderia ser responsabilizado agora por atos anteriores ao exercício do mandato de presidente.

De outro lado, nesta teça-feira, o ministro Luís Roberto Barroso, mandou investigar o "vazamento" da decisão de determinar a quebra do sigilo bancário do presidente Michel Temer. Ele quer saber como isso vazou ao ponto de que a própria defesa do presidente já sabia da decisão. "Verifico que a petição apresentada pela ilustre defesa do Excelentíssimo Senhor Presidente da República revela conhecimento até mesmo dos números de autuação que teriam recebido procedimentos de investigação absolutamente sigilosos", escreveu em seu despacho.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS