Presidente da Caixa visitou a Expobento e Fenavinho neste sábado

A imagem pode conter: 7 pessoas, incluindo Guilherme Pasin e Mariana Largura, pessoas sorrindo, pessoas em pé e terno
O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, reafirmou em Bento Gonçalves, neste sábado, que irá tornar a Caixa a instituição mais lucrativa do país e o banco social mais justo e eficiente de todos os tempos. O presidente esteve no município para retribuir uma visita ao prefeito Guilherme Pasin, que fez em Brasília recentemente, e também para visitar a Fenavinho e a Expobento.

Recepcionado na prefeitura pelo prefeito e por secretários, Pedro Guimarães contou sobre as mudanças que esta promovendo na instituição, principalmente sobre o corte de gastos e o choque de gestão. Disse que trabalha para cortar R$ 2 bilhões em compras e serviços. Além disso, os gastos com publicidade cairão de R$ 1 bilhão, para R$ 200 milhões. " R$ 800 mil para trocar a cor do logo da Caixa!, um absurdo", revelou.

Nos primeiros 20 dias no cargo, Guimarães trocou todos os vice-presidentes, 38 dos 40 diretores e 74% dos 84 superintendentes regionais. Ele promete vender prédios do banco, ser mais duro nas negociações dos contratos em várias áreas, incluindo gastos com segurança, e reduzir desembolsos com patrocínio e publicidade.

O presidente diz que “não faz nenhum sentido” a Caixa ser o banco social e tirar a casa de quem não conseguiu pagar seu financiamento. Não faz sentido ser o banco social e praticar altas taxas de juros para financiar obras estruturantes pelo municípios. Cerca de 125 mil pessoas já renegociaram suas dívidas com a Caixa por meio do programa "Você no Azul". O programa permite que as pessoas negociem seus débitos com até 40% de desconto.

Pedro Guimarães disse que o banco se tornou o "Banco do Excel". "Fazemos conta pra tudo, se o resultado não for positivo, não fazemos", disse.

A visita do presidente da Caixa faz parte do projeto " Caixa Mais", que prevê pelo menos 40 visitas em diversas regiões do país nos finais de semana. " Ficar só em Brasília não dá, em Brasília você não sabe o que acontece no país", disse.

Guimarães contou como foi convidado para ser presidente da Caixa. Pedro Guimarães é sócio do banco de investimento Brasil Plural e especialista em processos de privatizações. Assessorou, por exemplo, a privatização do Banespa, antigo banco estadual do estado de São Paulo. Guimarães é próximo de Paulo Guedes, ministro da Economia. Os dois trabalharam juntos no banco BTG no período em Guedes foi sócio da instituição. Guimarães também é próximo de Jair Bolsonaro, principalmente do filho Carlos.

POSTAGENS MAIS VISITADAS