Palocci interrompe negociação da delação com a demissão de seus advogados

O ex-ministro Antônio Palocci (PT) encerrou nesta quarta (3) o vínculo com o escritório Bretas Advogados, contratado pelo político para atuar em um eventual acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato. O advogado Adriano Brettas, especializado em delação premiada havia sido contratado por Palocci na semana passada. A informação foi confirmada pelo UOL. Petistas comemoram a interrupção das negociações sobre a delação premiada. Especulava-se que a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de soltar presos como José Dirceu e Eike Batista dificilmente alteraria a disposição de Antônio Palocci de fazer delação premiada. Mas sem o advogado, Palocci interrompe o processo. A delação teria como principal atrativo a redução da pena. Palocci teria até uma vantagem em relação a Dirceu para ter o pedido atendido: ao contrário do colega, condenado duas vezes por Moro a 31 anos de prisão, o ex-ministro da Fazenda ainda não foi sentenciado.


Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal