Um ano depois o colapso na saúde



O Rio Grande do Sul iniciou o domingo (7) com as unidades de terapia intensiva (UTIs), mais uma vez, lotadas. É o sexto dia seguido de ocupação acima da capacidade de operação no estado. Às 13h06, 103% dos leitos críticos estavam ocupados, com 3.092 pacientes em 3.005 vagas.

Os dados são da Secretaria Estadual da Saúde (SES), que monitora 299 hospitais públicos e privados diariamente. No balanço divulgado no início da tarde, 42 instituições ainda não haviam atualizado seus números.

Vivemos o pior momento da pandemia. E o cenário aponta ainda dias mais difíceis.

De acordo com o painel de controle da SES, 11 das 21 regiões do RS estão com a ocupação de leitos de UTI em 100% ou acima do limite.

A situação mais grave é na região de Lajeado, onde a ocupação do leitos críticos chegou a 136% no início da tarde de domingo.

De acordo com a SES, Porto Alegre estava com 103% de ocupação de UTIs, às 13h06, com 1.021 pacientes em 993 leitos. Na rede privada da Capital, são 451 pessoas em 369 vagas (114%). Já no SUS, são 566 pacientes em 597 leitos críticos (95%).

Em Bento Gonçalves, na Serra, o Hospital Tacchini comunicou estar em colapso, com 140% de ocupação. A instituição tinha 63 pacientes em UTI na noite de sábado (6) e os casos agora são encaminhados para a unidade de pronto atendimento (UPA) do município.

O clima na sociedade está cada vez mais exasperado, e não melhorará diante das vacinações que só progridem devagar. Os seres humanos se movem dentro dos limites do que é possível e praticável, e só raras vezes se decidem voluntariamente pela renúncia. Grande parte da economia continua funcionando e força os cidadãos a irem às empresas, onde forçosamente têm contatos, assim como nos ônibus e vans com que têm que se deslocar. É preciso aplicar proibições. Ou seja, mais dureza. Infelizmente.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal