Pular para o conteúdo principal

Eduardo Leite deve anunciar quarta pelo menos mais 6 secretários

Resultado de imagem para eduardo leite
A Gaúcha ZH publica matéria que retrata bem o atual estágio das negociações do futuro governador do RS, Eduardo Leite na composição do seu governo. A seguir o que diz a ZH:

Com maioria consolidada para aprovar a renovação do aumento do ICMS, Eduardo Leite(PSDB) avança nas articulações para a conclusão da montagem do secretariado. Nos próximos dias, o governador eleito deve anunciar pelo menos mais seis integrantes do primeiro escalão: Catarina Paladini (PR), Ronaldo Nogueira (PTB), Ana Amélia Lemos e Covatti Filho, ambos do PP, José Stedile (PSB) e Vilmar Zanchin (MDB).

As surpresas são Covatti Filho e Stedile. Ambos vão se reunir com Leite nesta segunda-feira (17). A conversa com Covatti será à tarde. A possibilidade de o progressista assumir uma pasta ganhou força nos últimas dias, mas não houve convite formal, tampouco definição de qual secretaria seria oferecida.

Eleito para o segundo mandato de deputado federal, Covatti tem frequentado o núcleo da transição do governo Jair Bolsonaro e esperava ganhar mais protagonismo em Brasília a partir de 2019. A visibilidade de uma secretaria estadual também lhe seduz.

Para Leite, a entrada de Covatti no governo seria providencial. Além de fortalecer ainda mais os laços com o PP, abriria uma vaga na Câmara para Ronaldo Santini (PTB), primeiro suplente na aliança. Leite reconhece a atuação de Santini na campanha, sobretudo no segundo turno, e gostaria de recompensar o parlamentar. O parlamentar também gostaria de passar mais tempo com o filho, que mora na capital federal.

Se a costura der certo, Leite terá quatro secretários do PP, fazendo do partido um dos mais fortes na futura gestão. Além de Otomar Vivian (Casa Civil) e Covatti, a legenda deve ter Ana Amélia Lemos ocupando um cargo de representação em Brasília e o titular da Agricultura. O primeiro cotado para o posto, deputado Sérgio Turra, foi riscado por conta da postura contrária à renovação do ICMS.

O deputado federal Afonso Hamm também foi cogitado e pode ser uma alternativa caso Covatti decline do convite, mantendo aberta a vaga para Santini. Além das vagas no primeiro escalão, o PP terá o líder do governo na Assembleia, cargo que está sendo reservado para Frederico Antunes, e há uma tentativa de garantir uma cadeira na Casa para o deputado João Fischer, o Fixinha, que não se reelegeu.

No PSB, a reunião com Leite será às 11h15min desta segunda-feira, na sede do PSDB. O partido está propenso a aceitar o convite, mas a decisão ficará para quarta-feira, em encontro da executiva estadual. As prioridades dos socialistas para o secretariado são as indicações do presidente José Stedile, que não se reelegeu deputado federal, e o ex-vice-governador Beto Grill. Não há certeza, contudo, de que a legenda terá duas pasta no governo.


No PTB, a indicação de Ronaldo Nogueira está consolidada e só falta o anúncio formal. O deputado federal não se reelegeu e ficará com a Secretaria do Trabalho, mesma área que ocupou no ministério do presidente Michel Temer. A atual pasta será desmembrada, com a parte de assistência social deslocada para a nova Secretaria de Cidadania, Justiça e Direitos Humanos, cujo titular será Catarina Paladini, recém filiado ao PR.

O MDB, que terá uma das maiores bancadas na próxima legislatura, decide nesta manhã a adesão ao governo. Já há maioria consolidada na bancada e no diretório para aceitar o convite de Leite. Com isso, Zanchin será indicado para a Secretaria dos Transportes.

Os anúncios devem ocorrer na quinta-feira, um dia após a diplomação de Leite, prevista para as 17h de quarta-feira.

Postagens mais visitadas deste blog

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal

Foi apresentado nesta sexta-feira(14) para um pequeno grupo de autoridades, empresários e corretores de imóveis em Arroio do Sal, o projeto de construção do novo porto marítimo do litoral norte do RS. Um grupo de investidores russos, do Grupo Doha Investimentos e Participações SA, vai construir o porto, em Arroio Seco/Arroio do Sal. Cerca de 25 mil empregos diretos e indiretos deverão ser gerados a partir da operação do porto. Os empreendedores russos têm 1 bilhão de dólares, para investir. O dinheiro já está garantido. A ideia é aproximar o comércio brasileiro da União económica euro-asiática. Um mercado comum que abrange 170 milhões de pessoas e significa um PIB da ordem dos US$ 2,2 trilhões de euros. Atualmente, a organização é composta pela Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão e Rússia. O empreendimento vai modificar sobremaneira a realidade dos municípios do litoral norte, sem contar a valorização imobiliária prevista no entorno.

Russos querem mesmo construir porto em Arroio do Sal

O deputado federal gaúcho Bibo Nunes apresentou ao governador Eduardo Leite, sexta-feira, o protocolo de intenções que demonstra o interesse de grupos privados russos em investir um total de R$ 3,56 bilhões na construção de um porto em Arroio do Sal, Litoral Norte do RS. O investimento, inicialmente projetado em cerca de 1 bilhão de dólares pelo secretário do Meio Ambiente, Agropecuária e Pesca de Arroio do Sal, Luis Schmidt, pode chegar a US$ 2,8 bilhões. A prefeitura já concedeu viabilidade econômica para o projeto. São necessárias outras liberações. Além dos investidores russos, há investidores brasileiros, como a Doha, com experiência em portos, o Grupo Del Rio, a IG Consultoria e a GS Business. A intenção do grupo, segundo o prefeito Bolão, é instalar a pedra fundamental da obra em março de 2020.

Está faltando matéria prima para as indústrias moveleiras produzirem

A Associação Brasileira da Indústria do Mobiliário (Abimóvel) e a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) emitiram comunicado conjunto acerca do desabastecimento de painéis de madeira para indústrias e marcenarias. A pandemia provocou paralisação do consumo doméstico da matéria prima, fazendo com que as fornecedoras buscassem o mercado externo. No entanto, com a reabertura do comércio, o ritmo de produção das indústrias de móveis brasileiras cresceu rapidamente. Resultado: Desabastecimento interno. Alta nos preços. Está faltando chapa de MDF e MDP para atender a demanda nacional. A penas no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2019, a exportação do MDP cru para a China registrou aumento de 700% e caso muito semelhante ocorreu com os EUA, com alta de mais de 600%. Eis a nota: A Associação Brasileira da Indústria do Mobiliário (Abimóvel) e a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), que representa a indústria de chapas de painéis, em atenção às manifestações de in