Cooperativa e startup gaúcha investem no rastreamento das uvas

Cooperativa ajuda uva da Serra Gaúcha a conquistar o Brasil ...
Um projeto criado pela agtech gaúcha Elysios Agricultura Inteligente busca fazer o cultivo de uva no Rio Grande do Sul controlado e rastreado. Desenvolvida em conjunto com a Cooperativa Vinícola Aurora, de Bento Gonçalves, a solução usa Internet das Coisas (IoT) e Big Data.
 A plataforma foi adaptada à cultura da uva para suprir necessidades de, por exemplo, assistência técnica e rastreabilidade. A ideia é que o produtor foque a sua energia e tempo nos cuidados do manejo da planta, enquanto a tecnologia faz o levantamento e controle, com segurança, das estimativas e variáveis da lavoura.
A solução desenvolvida agtech, como são chamadas as startups do agro – foi criada por um grupo de ex-alunos da UFRGS, com foco inicial no setor de hortifruti e pode ser adaptada conforme a necessidade de cada cultura.
No caso dos produtores de uva, o objetivo é garantir a alta qualidade ao produto, por meio da rastreabilidade, controle de pragas e doenças, intempéries, entre outras situações que impactam a cadeia produtiva.
Maurício Fugalli, engenheiro agrônomo da Vinícola Aurora, revelou que em 2018, o volume de produção da cooperativa foi de cerca de 70 milhões de quilos de uva. A produção está repartida em 50 milhões de uvas americanas para sucos e vinhos comuns e outros 20 milhões direcionados para a produção de espumantes ou vinhos finos.
Neste cenário costumam surgir às demandas do negócio para o produtor, cooperativas ou para uma grande empresa que precisa gerenciar e controlar centenas de propriedades, garantindo previsibilidade de informações da safra. Neste sistema, ter acesso a dados precisos e de forma ágil é essencial para a indústria. É exatamente esta demanda que está sendo testada pelos agricultores da Vinícola Aurora, por meio do projeto da Elysios.
Maurício comenta  que uma das grandes virtudes da cooperativa é a sua magnitude. Com isso, o grande desafio é reunir os números para fazer a análise. “Por isso, é fundamental saber qual é a previsão de uva para esta safra, ou qual é o nosso foco de mercado, ou quantos anos vamos levar para virar ‘o navio’, caso seja preciso trocar a produção de suco de uva para espumante”, completa.
A expectativa é de que a tecnologia forneça velocidade e precisão nestes dados, para que a tomada de decisões possa ser mais certeira na cadeia produtiva.
Fonte: JC

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal