Fachin anula três processos contra Lula

A decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a incompetência da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba de julgar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, poderá evitar que o ex-juiz Sergio Moro tenha seus atos julgados pela Corte e preservará outros processos da Lava-Jato. A avaliação é de advogados especialistas na matéria.

De outro lado, a decisão do ministro, recoloca no cenário político o PT. O partido que nas últimas eleições perdeu terreno em vários estados e municípios, volta a ter esperança de que poderia comandar o país novamente.  De fato, com a possível volta de Lula, a disputa das eleições pode ganhar um novo cenário.

No entanto, perde espaço Doria e Sérgio Moro. Já Guilherme Boulos e Ciro Gomes ou formam uma frente para aderir ao Lula ou vão ter que dividir os votos da esquerda. 

Para Lula seria a hora da verdade; ele teria que enfrentar Bolsonaro e aí saberemos quem tem mais popularidade.  Mas o país ficará ainda mais dividido.

De qualquer forma, a decisão que agora remete a Brasília o julgamento, terá ainda outros desdobramentos. Os efeitos devem persistir,  porque a decisão acrescenta mais um ingrediente de incerteza em um ambiente já contaminado por insegurança. 

A possibilidade de Lula ser candidato deve, também, pressionar a equipe econômica e o próprio presidente Bolsonaro a repensar suas prioridades, tendo em vista possíveis repercussões eleitorais.

É preciso esperar. A decisão de Fachin ainda será analisada pelo plenário do STF. Se a anulação for mantida, Lula volta a ser elegível, e fica apto a disputar as eleições de 2022.





Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal