Venda de máquinas e equipamentos para obras deve despencar 50% em 2016.

O cenário político é um complicador para a queda de faturamento do setor. Mas o cenário econômico também. No mercado, os empresários do setor da construção civil são os mais interessados na melhora do ambiente econômico e os fabricantes de máquinas e equipamentos são os primeiros da fila. O processo de impeachment pode ser decisivo para a mudança de rumo. O setor aguarda ansiosamente as concessões dos corredores de exportação, sobretudo de ferrovias e portos para voltar a faturar. Com a nova dinâmica de financiamento, com mudança nas taxas de juros do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o setor precisará ainda de segurança jurídica necessária para tirar os investimentos do papel.

POSTAGENS MAIS VISITADAS