Não será preciso licitar obra do novo presídio em Bento, contratação será direta

Um problema histórico em Bento que está sendo resolvido devido a persistência, criatividade, inovação e articulação política do prefeito Guilherme Pasin (PP) que, desde sua primeira gestão em 2013, encarou o desafio de pôr fim a novela de construção do novo presidio regional. Um equipamento que é de extrema importância para o município e arredores tendo em vista impactar diretamente na segurança pública, uma vez que é frequente a necessidade de vagas para aliviar delegacias, judiciário e a população que convive com o atual presídio localizado no centro da cidade.

A Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) do Rio Grande do Sul trabalha com a estimativa de começar a construção do novo presídio estadual este ano. Isso será possível porque o Estado decidiu agilizar o processo de contratação das obras, que será realizado através de contratação direta, e não mais por licitação. Com isso, o diretor de planejamento da superintendência, Alexandre Porciúncula Micol, afirma que as obras poderão iniciar antes do final do ano. As informações são do portal Leouve.

O diretor revelou que a modalidade de contratação direta apresenta uma série de vantagens, e deve reduzir o tempo para a contratação dos 120 dias previstos em um processo licitatório para cerca de 35 a 40 dias. Segundo ele, a proposta básica deverá ser concluída até o final de agosto, o que deve permitir que a definição ocorra até outubro.

O projeto apresentado no edital, que não será publicado, será mantido, com a exigência mínima de 450 vagas em regime fechado em troca das áreas onde estão atualmente a sede da superintendência regional do Daer e a residência oficial do superintendente, no bairro Planalto, avaliadas em R$ 27 milhões. O prazo de execução da obra é estimado em 10 meses.


Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS