Em SP governos recorrem a isenção de tributos para manter montadoras

Resultado de imagem para montadora abcDepois da Ford, anunciar fechamento de sua fábrica em São Bernardo do Campo, os governos estadual e municipal apressaram-se em propor uma nova legislação de incentivo com redução da carga tributária.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que se lançou politicamente como um defensor de um Estado menos intervencionista na economia, anunciou um programa de incentivo fiscal à indústria paulista de veículos, que vai oferecer reduções do ICMS de até 25% para montadoras que apresentarem planos de investir pelo menos R$ 1 bilhão e gerarem no mínimo 400 postos de trabalho.

O pacote de medidas, apesar de ter sido motivado pela ameaça da GM, vale para todas as montadoras instaladas no Estado. São Paulo conta com 13 empresas do setor e 29 fábricas.

Os incentivos também podem beneficiar um possível comprador da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo, que passou a estar à venda depois que a marca norte-americana anunciou, no início de fevereiro, que sairá do segmento de caminhões.


Já a prefeitura de São Caetano do Sul (SP) ofereceu à GM, que tem fábrica no município, incentivos que envolvem o ISS (Imposto Sobre Serviços), o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e a conta de água. A renúncia fiscal do município vai representar, ao longo dos próximos 10 anos, 10% do que se espera de arrecadação com o aumento de produção e os investimentos prometidos pela GM. A montadora tem falado em investir mais R$ 10 bilhões no Brasil, que seriam distribuídos entre as três fábricas que tem no País - as outras duas são em São José dos Campos (SP) e Gravataí (RS).

As mudanças valeriam para qualquer montadora que decida se instalar no município.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS