Eleições de 2018 passa pelo desempeho de Temer na presidência


Ter o governo nas mãos sempre foi decisivo no Brasil na questão eleitoral. Se as coisas melhorarem até 2018, ainda que não 100%, certamente isso será atribuído ao Temer. Essa é a estratégia do PMDB e por ela que o governo tem trabalhado agora. Nesse cenário já há sinais. O primeiro deles é de que se Temer não quiser, ele poderia ainda lançar um candidato próprio. E há quem aposte no ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Afinal o que pretende Meirelles num governo de emergência? Outro possível apoio seria em torno do ministro da Relações Exteriores, José Serra. Empossado na Esplanada sem o apoio completo do PSDB, Serra poderia migrar para o PMDB nesse caso. Outro sinal é de que se Temer governar bem, é de duvidar que ele não se candidate.Quanto aos prováveis nomes para a disputa, não há grandes divergências: Aécio Neves (PSDB), Lula (PT), Marina Silva (Rede), Alvaro Dias (PV), Ciro Gomes (PDT) e Jair Bolsonaro (PSC). A dúvida são as condições em que cada um deles chegará ao pleito. E é certo que elas vão depender do desempenho do próprio Temer à frente do governo.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal