Opinião: Transporte Público

Já virou comum afirmar que a pandemia levou o transporte público à maior crise da sua história. De um dia para o outro, a demanda simplesmente sumiu. Alguns sistemas registraram perdas de mais de 70%, enquanto os custos fixos se mantiveram nos patamares e o preço dos insumos (especialmente energia) dispararam. Ou seja, tem cada vez menos gente andando de ônibus e cada vez mais a população envelhece, portanto mais gratuidades.

Há algum tempo, a crise já assombrava o setor e ele caminhava para o colapso em passos lentos. É um desafio gigante para o setor público, que não terá outro caminho a não ser subsidiar parte da passagem porque as cidades não podem renunciar aos sistemas de transporte de massa, organizados e padronizados, sob pena de ampliar a desigualdade e a falta de acesso das pessoas que mais precisam.

Para atingir a eficiência das cidades, é essencial que o poder público esteja atento às oportunidades que se desenvolvem em parceria com o setor privado. Dessa forma, ambos os setores podem trabalhar de forma integrada e complementar, melhorando a experiência para o usuário do transporte público, gerando novos produtos e serviços e contribuindo para o progresso da mobilidade urbana no país. É tempo de investir na modernização e na facilidade do acesso, não o contrário.


Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal