Em Brasília começou a demissão dos infiéis

Contrariado com o placar da aprovação da reforma trabalhista na Câmara, o Palácio do Planalto quer enquadrar os indisciplinados e garantir fidelidade na proposta do governo. O presidente já determinou as demissões dos infiéis. “A caneta vai funcionar” disse o presidente. A ideia de Temer é entregar os cargos para outros que aceitem votar a favor das propostas feitas pelo governo. Cerca de 25 parlamentares terão seus aliados destituídos de cargos públicos após terem votado contra as alterações na legislação trabalhista. Reunido com 11 ministros e líderes partidários no Palácio da Alvorada, em pleno feriado do Dia do Trabalhador, o presidente informou que a primeira leva de exonerações será publicada no Diário Oficial desta terça-feira (2). Apesar de considerar ter sido traído por cerca de 70 deputados, o governo quer excluir apenas aqueles que não podem ser convencidos e dar um recado claro aos outros.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal