Justiça aceita pedido da Artecola para recuperação judicial

A Justiça autorizou o pedido de recuperação judicial da Artecola Química. A dívida chega a R$ 790 milhões, considerando as seis empresas do grupo. A Artecola terá 60 dias para apresentar o plano de recuperação judicial. Se aprovado pelos credores, vai depois para homologação da Justiça para entrar em execução. A Artecola tem sede em Campo Bom e havia contratado a consultoria Iwer para reestruturar o negócio. O grupo sofreu descapitalização com a MVC, empresa na qual a Artecola era sócia da Marcopolo, de Caxias do Sul. Enfrentou problemas no cumprimento de contratos públicos para construção de 208 creches. Paralisou obras e argumentou falta de pagamento por parte dos governos. Em março do ano passado, a empresa anunciou o encerramento das atividades da Arteflex. Produzia calçados e fazia parte do grupo Artecola. Fechou uma fábrica em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, e outra em Itanhandu, Minas Gerais.

A Artecola é também um dos principais fornecedores do setor moveleiro, por meio da divisão química. Produzindo adesivos, fitas de borda e produtos para o setor automotivo e de calçados. Foi considerada a mais internacionalizada do Brasil entre as que registram faturamento anual de até R$ 1 bilhão. Em novembro do ano passado inaugurou um Centro de Inovação e Tecnologia (CIT).

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal