PSDB confirma Alckmin e Ana Amélia


Candidata a vice, a senadora Ana Amélia abriu seu discurso na convenção nacional do PSDB, hoje, em Brasília, respondendo às críticas que têm recebido pela aliança com o PSDB e o Centrão:

- A régua moral de Geraldo Alckmin é a mesma que sempre usei no Senado. A do zelo pelo gasto público.

Ana Amélia não pode comparecer a convenção do partido no RS. Mas gravou um vídeo. "Tomei a decisão de aceitar compor a chapa majoritária para a Presidência da República ao lado do governador Geraldo Alckmin. Não foi uma decisão fácil, tive a coragem e abrir mão de um mandato à reeleição ao Senado quase certa para um resultado eleitoral incerto", disse.

Na convenção do PSDB, Ana Amélia recebeu muitos elogios. Foi chamada de " vice dos sonhos".

- Nunca usei auxílio-moradia, porque moro na minha casa. É isso que o contribuinte brasileiro quer, um governo austero, um governo cuidadoso, disse a senadora.

Alckmin fechou aliança com partidos do chamado "Centrão" (DEM, PP, PR, PRB e SD), além de outras três legendas: PTB, PSD e PPS. Segundo o primeiro-vice-presidente do PSDB e coordenador da campanha, Marconi Perillo, os apoios garantirão 45% do tempo de televisão ao candidato tucano.
Em seu primeiro discurso como candidato, Alckmin disse que aceitava a indicação com "humildade e senso de responsabilidade".

Ele afirmou que o país passa por um momento grave, citou o desemprego e a corrupção, e disse que "não há tempo a perder".

- Aceito ser candidato à Presidencia da República. Sou candidato para buscar um mandato que pode ser resumido em uma frase: Vamos mudar o Brasil e devolver aos brasileiros a dignidade que lhes foi roubada, discursou Alckmin.






Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal