Coronavírus, Dengue e Influenza. E no RS o inverno. Essas são as ameaças para o colapso na saúde. Fique em casa!


O cenário com que o Ministério da Saúde trabalha é horrível. Coronavírus, Dengue e Influenza, tudo se proliferando no outono e no inverno. E para a região sul tem ainda o agravante do rigoroso e úmido inverno. O pico das três doenças deve acontecer ainda no primeiro semestre deste ano, é o que disse nesta quinta, as autoridades da saúde do governo federal.

“Estamos entrando na sazonalidade de vírus respiratórios. Enquanto a Europa, Estados Unidos e China passaram por essa fase antes do coronavírus, a nossa situação é diferente. Temos que monitorar influenza A e B, além do coronavírus. Vai ser um desafio trabalhar com três epidemias ao mesmo tempo”, explica o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira.

Para evitar que as doenças se sobreponham, o governo pede a colaboração da população. Wanderson sugere que, ao longo do isolamento social, se aproveite o tempo para eliminar os focos de mosquitos da dengue e que se siga, de acordo com o calendário proposto pelo ministério, as indicações de vacinação contra a gripe.

A imunização nova, que começou a ser feita esta semana, protege contra influenza A e B. Além de evitar pegar esses tipos de gripe, a vacina é importante para descartar as doenças durante um possível diagnóstico de coronavírus. Mas é preciso lembrar. Estamos apenas no incio da tormenta, então não dá para aliviar. Temos que continuar adotando medidas de segurança e de completa assepsia.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal