Bolsonaro tira Regina Duarte da Secretaria de Cultura

Cargo anunciado para Regina Duarte não existe na Cinemateca Brasileira
O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (20) a saída da atriz Regina Duarte do cargo de secretária especial de Cultura. Regina Duarte assumiu a pasta em 4 de março, com a missão de "pacificar" o embate entre a classe artística e a indústria da cultura com o governo federal.

Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP.

Pelo Twitter, o presidente Jair Bolsonaro disse que Regina Duarte, iria para a Cinemateca Brasileira. Mas embora o governo federal possa ter influência nas decisões, as indicações para os cargos seriam feitas pela organização social que administra a Cinemateca, ou seja não há uma garantia de que o desejo do presidente seja atendido. Em março de 2018, foi assinada uma parceria entre o antigo Ministério da Cultura e o Ministério da Educação, em que a Cinemateca passava a ser administrada integralmente pela Acerp por um período de 3 anos, portanto, até 2021. Mas a suspensão do contrato original do Ministério da Educação com a Acerp, anunciada em dezembro de 2019 pelo ministro Abraham Weintraub, faz chover incertezas a situação da instituição de cinema, que não recebeu repasses do governo federal em 2020.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal