Caçada a cogumelos

O Brasil tem porcini. Fomos em busca dos cogumelos na Serra ...
O cogumelo porcini, o queridinho dos italianos, é conhecido como o rei dos cogumelos, devido a sua textura carnuda, sabor e história. É um cogumelo de base grossa e de chapéu largo, alguns podem chegar a um quilo de peso, é raro ser encontrado fresco, a maioria pode ser comprado em supermercados e armazéns como funghi secchi. Funghi quer dizer cogumelo em italiano (palavra derivada do latim "fungus") e é conhecido na alimentação da humanidade há mais de 10.000 anos. Na Europa, berço das melhores variedades, sua popularização se deve aos romanos, tanto que um deles, o preferido do imperador, leva o nome de Cogumelo-de-César (Amanita Cesarea). Possuem inúmeras propriedades sendo um alimento praticamente completo. Contém açúcar, ferro e amido e seu nível proteico supera o de vários alimentos, tais como leite, frutas, hortaliças e muitos legumes. Os cogumelos também contêm vários sais minerais e vitaminas B1, B2, D e E. Os melhores cogumelos porcini - porcino na Itália - são colhidos no norte daquele país. O nome porcino – “leitão” em italiano - é uma referência ao formato gordinho - e saboroso - do seu talo.

A chegada do pinus americano (elliottii) para a produção de madeira renovável nas Serras Gaúcha e Catarinense, trouxe nas mudas exatamente este brinde europeu: Os esporos de porcini.

Caçar cogumelos virou atração turística em Santa Catarina. A Eco Trilhas, oferece passeios para famílias há três anos, para escolher os porcini, entre outros cogumelos não comestíveis. A temporada deste ano termina neste mês. Guiados pelo expert em trilhas Dario Lins, o programa de caçada aos cogumelos, inclui sapecada de pinhão, almoço na fazenda e muitas outras experiências.

Aqui na serra gaúcha, o empresário Altemir Pessali, proprietário dos magníficos restaurantes Primo Camilo em Garibaldi e Nonna Gemma e Pizza entre Vinhos no Vale dos Vinhedos também ocupa suas horas vagas para – além de pedalar – caçar cogumelos selvagens pelos quatro cantos do Rio Grande. Dono de uma técnica e de um conhecimento ímpar, Pessali percorre montanhas, vales e florestas em busca destas iguarias para usar no cardápio de seus restaurantes.

Crédito/Fotos: Quintal Rosa



Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal