Já era de esperar, IPI zero nos móveis não foi adotado pelos lojistas
Deu o esperado. Poucos Lojistas ou quase nenhuma rede repassou o desconto do IPI dos móveis para os produtos. Os principais empresários do setor moveleiro já sabiam que na prática o desconto não seria repassado, mas mesmo assim entendiam que o beneficío maior seria a promoção do móvel no ponto de venda. O site iG fez um levantamento nos sites das redes Ponto Frio, Casas Bahia, Magazine Luiza, Lojas Colombo e Extra e constatou que dos sete produtos analisados em 27 de março – um dia após o anúncio do governo - e em 11 de abril, poucos ficaram mais baratos.

Foram cotados os preços de dez modelos de camas, guarda-roupas, kits de cozinha e sofás. No total, o levantamento apurou 20 preços antes e depois do IPI, sendo um de cada varejista para cada produto. Quase metade (nove) dos valores aumentou após duas semanas. Apenas três caíram, e outros oito ficaram no mesmo patamar, ou o produto deixou de aparecer no site da empresa.

Segundo a Receita Federal, não existe nenhuma resolução ou lei que obrigue as redes varejistas a repassar a queda do IPI para os consumidores finais. Veja reportagem completa do IG: http://economia.ig.com.br/financas/meubolso/reducao-do-ipi-nao-chega-ao-bolso-do-consumidor/n1597741713719.html

Comentários