Voto consciente e  reforma político-eleitoral 
Em Bento Gonçalves, no próximo sábado, jovens organizam uma manifestação para dar eco aos movimentos que tomaram o Brasil desde a noite de segunda-feira, e se repetiram ontem em algumas cidades. As dezenas de milhares de brasileiros que protestam apresentaram reivindicações as mais variadas possíveis , dentre elas aos grandes assuntos nacionais, como a corrupção e a PEC 37, que deve ser votada até o fim do mês e que retira o poder de investigação do Ministério Público. O que estamos presenciando é uma grande oportunidade de aprendizado para o brasileiro: para que ele procure conhecer as causas e pense em soluções para as situações que o revoltam; para que ele desenvolva seu interesse pela coletividade e abandone o individualismo que tanto mal faz à sociedade; para que ele aprenda a dialogar e entender o ponto de vista de quem pensa diferente. Se a insatisfação crescente do brasileiro for canalizada para boas causas, ela será frutífera. A participação política transcende o exercício do voto, mas também as urnas oferecerão uma oportunidade para que a indignação se transforme em ação concreta. Exercer o voto consciente e se mobilizar por uma autêntica reforma político-eleitoral, baseada nos princípios republicanos e não nas conveniências da classe política, são atitudes que não deixarão os protestos nas ruas terminarem em pizza.

Comentários