Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

Corolla lidera vendas

Um novo recorde garantiu ao sedã Corolla, da Toyota, o título de carro mais vendido do mundo em 2014, segundo levantamento feito pela consultoria Focus2move. Ao todo, foram comercializadas 1.223.253 unidades do sedã médio, superando em quase 200 mil unidades o Ford Focus, que ficou na vice-liderança. Essa é a oitava vitória consecutiva do veículo de origem japonesa. Confira a lista dos 10 carros mais vendidos no mundo no ano passado, segundo a Focus2move: 1. Toyota Corolla: 1.223.253 unidades 2. Ford Focus: 1.025.081 unidades 3. VW Golf: 952.144 unidades 4. Ford F-Series: 898.781 unidades 5. Hyundai Elantra: 808.189 unidades 6. Toyota Camry: 763.804 unidades 7. Wuling Hongguang: 750.019 unidades 8. Honda CR-V: 728.821 unidades 9. Chevrolet Cruze: 706.172 unidades 10. Ford Fiesta: 693.908 unidades

Affemaq empossa diretoria dia 2

A Associação dos Fornecedores para as Indústrias de Madeira e Móveis (Affemaq) empossa sua nova diretoria para a gestão 2015/2016 no próximo dia 02 em evento na Vinícola Lovara. Fabrício Zanetti assume a Presidência e Claudio Barbosa é o novo vice-presidente.A nova diretoria, também será composta pelo vice-presidente Claudio Barbosa, pelo diretor de marketing Ivânio Angelo Arioli e pelo diretor financeiro Roberto Luis Trevisan.

Exportações de móveis caem

As exportações de móveis de indústrias de Bento Gonçalves caíram 13,4% em 2014. O número foi divulgado pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis). A queda é a maior desde 2009, quando o indicador caiu 35%. No ano passado, o polo formado por indústrias de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul e Santa Tereza registrou um volume de exportações de US$ 48,8 milhões. O desempenho negativo ocorreu em 33 dos 57 países que receberam os móveis do polo, quando comparados os anos de 2013 e 2014. A queda no Brasil nesse mesmo tipo de comparação foi de 2,7% e o Rio Grande do Sul, por outro lado, teve saldo positivo de 2,4%.

FIMMA e Salão de Milão

De 14 à 19 de Abril todas as atenções do setor moveleiro nacional voltam-se para o Salão do Móvel de Milão 2015, que terá como tema “Alimentando o Planeta, Energia para a Vida “. O tema traduz mais que sustentabilidade.O objetivo não é só oferecer soluções, mas levantar questões e oferecer ferramentas para que os visitantes e expositores encontrem suas próprias respostas para minimizar os problemas que as próximas gerações vão enfrentar. Esta edição da feira contará com a presença da Euroluce, o Salone Ufficio, uma exposição internacional de banheiros e o badalado Salão Satellite.

Aerodromo

O prefeito Guilherme Pasin acompanhado pelos secretários municipais de Governo Enio De Paris e de Turismo, Gilberto Durante, além do Procurador do Município Sidgrei Machado Spassin estiveram reunidos na tarde desta quinta-feira(22) com a secretária Estadual do Meio Ambiente e que também responde pela Fepam, Ana Pellini, e com o secretário estadual da Agricultura, Ernani Polo. O objetivo do encontro foi solicitar empenho do órgão estadual para agilizar a emissão de documento definitivo de licenciamento para o inicio das obras do Aeródromo Municipal. Depois da realização de uma Audiência Pública promovida pelo Ministério Público Federal (MPF) na Câmara de Vereadores, no último dia 20, tratando do projeto de revitalização e ampliação do aeródromo, a primeira medida tomada pela Prefeitura foi de realizar um encontro com representantes da Fepam .

Quase 100 prefeituras fecham ano no vermelho

Atraso em repasses estaduais e federais são principal causa do déficit. Quase 100 prefeituras do Rio Grande do Sul fecharam as contas de 2014 no negativo, por causa de atrasos no repasse de recursos estaduais e federais aos municípios, aponta um estudo realizado pela Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs). Além da demora nos repasses, a diminuição da arrecadação em impostos que são divididos com os municípios (como o ICMS, arrecadado pelo Estado) também contribuiu para agravar a situação das contas municipais. Segundo a Famurs, o rombo nas prefeituras gaúchas chega a R$ 731 milhões;