Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2015

Lula, brabo depois que Veja e Época, revelaram novos casos envolvendo o ex-presidente em grossas acusações com mau uso dinheiro público.

O ex-presidente Lula, que subiu ao palanque, nesta sexta-feira dia do trabalho, para discursar em ato promovido pela CUT em SP, estava bravo depois que as duas principais revistas semanais Veja e Época, revelaram novos casos envolvendo o ex-presidente em grossas falcatruas com dinheiro público. "Isto é ódio", disse Lula. E disse mais, “Eu não ia dizer isso aqui, mas estou notando todo santo dia insinuações: ah! Lá na Operação Lava Jato estão esperando que alguém cite o nome do Lula porque o objetivo é pegar o Lula. Essas revistas brasileiras são um lixo e não valem nada. Eu certamente serei criticado por estar sendo agressivo, mas queria dizer que peguem todos os jornalistas da Veja e da Época e enfiem um dentro do outro que não dá 10% da minha honestidade neste país”. Perseguição, mentira, ódio, será que Lula , Dilma e o PT são tão perseguidos assim? São tão inocentes assim?

Recuperação Judicial também é solicitada pela Ditália Móveis

Depois de outra grande empresa de Bento Gonçalves pedir recuperação judicial nos últimos dias (Farina S/A), agora outra grande do setor moveleiro também entrou em processo de recuperação judicial por dificuldades financeiras. A Ditália Móveis, com fábrica em Monte Belo do Sul, não aguentou a pressão de ter vários credores a bater as suas portas e terá que escolher outro caminho. A crise financeira da Ditália, já vinha sido notada pelo mercado há pelo menos 4 anos, mas os últimos “ajustes” do governo federal que aumentaram sobremaneira os custos operacionais das indústrias no país foram determinantes para que a empresa optasse pela demissão de funcionários e diminuísse a produção. Com 23 anos de atuação no setor moveleiro, comandada por Noemir Capoani, a Ditália chegou a estar entre as dez maiores empresas em faturamento do setor moveleiro no Brasil e empregar 480 pessoas, além de exportar para mais de 50 países. No auge, Capoani chegou a revelar que seu sonho era tornar a Ditália a mai

Voto distrital nos municípios

O Senado aprovou projeto de lei do senador José Serra (PSDB-SP) que institui o voto distrital nas cidades com mais de 200 mil eleitores. Vejam bem, 200 mil eleitores, ou seja, somente nas cidades grandes. Municípios em que hoje, há segundo turno na escolha do prefeito. Ao todo, são 84: 24 capitais e 60 outros municípios. Vão testar o sistema inicialmente nestas cidades, para depois quem sabe adotar em todo o Brasil. É que o modo de eleger um vereador é regulado por legislação eleitoral ordinária, não está previsto na Constituição e pode ser mudado por projeto de lei. Não tenho dúvidas que deveria ser adotado em todo o país. Defendo o Voto Distrital Misto. Porque misto? Porque de um lado você tem uma aproximação do eleitor com o eleito, mas ao mesmo tempo a outra parte do parlamento é eleita pelo voto proporcional permitindo que a diversidade (minoria, voto de opinião) seja representada. O voto distrital torna mais íntima a relação do eleitor com o candidato. Com ele os candidatos te

Brinde ao Brasil

O Brasil vai sediar a edição de 2016 do Congresso Mundial do Vinho, a cargo da Organização Mundial da Vinha e do Vinho (OIV). O evento será realizado em outubro, em Bento Gonçalves (RS). A decisão deve ser anunciada oficialmente em julho, na Alemanha, durante a edição deste ano. O congresso é conhecido por definir as diretrizes para o setor, com recomendações para boas práticas de produção de uva e vinho condições adequadas para a conservação da bebida. A decisão foi celebrada pelo chefe da delegação brasileira e da Coordenação-Geral de Vinhos e Bebidas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa): “É um encontro que induz ao desenvolvimento de novos projetos científicos e serve para mostrar ao mundo vitivinícola a nossa realidade”.

Reforma política: Unificação das eleições

Um dos pontos da reforma política que o Congresso Nacional promete aprovar ainda este ano pode alterar significativamente a vida política brasileira, marcada pela alternância das eleições e a possibilidade de exercer dois mandatos. De acordo com uma proposta de emenda à Constituição em tramitação, os pleitos municipais e os das esferas estadual e federal passariam a ocorrer ao mesmo tempo a partir de 2018, o que acabaria com a rotina dos eleitores de irem às urnas de dois em dois anos, e a reeleição seria vedada. Apesar de o assunto ainda não ser consenso, as chances de ela sair do papel são grandes, pois o projeto conta com o apoio das maiores bancadas. Acho que o Brasil terá que se preparar mais para unificar as eleições a partir de 2018 como já aprovada pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado.   Pela proposta de autoria de Renan Calheiros (PMDB-AL), as eleições serão unidas e em 2016, os prefeitos eleitos terão mandato de apenas dois anos para que, em 2018