Delcídio será cassado hoje. Senador ontem tentou defender seu mandato que já está perdido pelo julgamento do povo

O senador Delcídio do Amaral voltou ao Senado nesta segunda-feira pela primeira vez depois de ser preso por obstruir as investigações da Operação Lava Jato. Delcídio foi ouvido na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Casa, que iria votar o relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), favorável à cassação do ex-petista, e decidir pelo encaminhamento do processo ao plenário.Delcídio reiterou o conteúdo de sua delação premiada e afirmou que agiu "a mando" ao negociar a compra do silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Disse mais, ao tentar se livrar de uma cassação que deverá ocorrer em sessão plenária no Senado ainda nesta terça: "Eu não roubei, não desviei dinheiro, não tenho conta no exterior. Estou sendo acusado de obstrução de Justiça”. Após o encerramento da sessão na CCJ, o relator do processo no Conselho de Ética, senador Telmário Mota (PDT-RR), contrário ao requerimento de Aloysio Nunes, levou ao plenário da Casa a discussão sobre a cassação do senador.O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), convocou para as 17h a sessão plenária. Delcídio pensa que poderá se livrar da cassação, mas mesmo que consiga, o que é pouco provável, a maior condenação virá sempre das ruas.

POSTAGENS MAIS VISITADAS