Dilma deve anunciar medidas "simpáticas"


Na busca por angariar simpatia e mudar o foco, Dilma deve anunciar neste domingo, dia do trabalho, algumas medidas para agradar mais sindicalistas e trabalhadores. Entre boatos que circulam pelos corredores de Brasília e medidas já apresentadas, a presidente Dilma acena para atender reivindicações antigas e consideradas urgentes pelos movimentos sociais, mas que até agora eram deixadas em segundo plano ou rejeitadas por conta da crise econômica mundial. Durante a semana Dilma aprovou a ampliação por mais dois anos do projeto Mais Médicos, reduziu o valor mínimo da prestação do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e ampliou a demarcação de terras indígenas, que estavam paradas. As novas regras do Fies incluem a ampliação do prazo para conclusão da inscrição de cinco dias corridos para cinco dias úteis e maior autonomia para a instituição confirmar a matrícula do estudante, por meio da Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA). Haverá também redução do patamar mínimo de prestação do Fies de R$ 100 para R$ 50. As novidades valerão para os contratos firmados no segundo semestre.

A maior expectativa é do anúncio de um reajuste de 5% na tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) e de 9,5%, em média, dos benefícios do Bolsa Família. No caso do IR o limite do desconto na fonte passaria de R$ 1.903 para R$ 1.999.

POSTAGENS MAIS VISITADAS