Pular para o conteúdo principal

Não é a lista do Enen, nem do vestibular, saiu a lista da corrupção

A delação premiada de Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, atinge em cheio a cúpula do governo e o PMDB, o partido do presidente Michel Temer. Além de Temer, Melo Filho citou pelo menos outros 34 políticos, com destaque para caciques do PMDB e integrantes do núcleo duro do Planalto – Romero Jucá, Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Moreira Franco, Rodrigo Maia, entre outros. O delator revelou que eram utilizados vários codinomes para realizar pagamentos a parlamentares.

A LISTA

1. Michel Temer (presidente da República) R$ 10 milhões
2. Anderson Dornelles (ex-assessor de Dilma)R$ 350 mil
3. Antônio Brito (deputado federal)R$ 430 mil
4. Arthur Maia (deputado federal)R$ 600 mil
5. Ciro Nogueira (senador)R$ 5 milhões para campanhas do PP
6. Delcídio do Amaral (ex-senador)R$ 550 mil
7. Duarte Nogueira (prefeito de Ribeirão Preto)R$ 600 mil
8. Eduardo Cunha (ex-presidente da Câmara)R$ 7 milhões
9. Eliseu Padilha (ministro)teria negociado recursos para Temer
10. Eunício Oliveira (senador)R$ 2,1 milhões
11. Geddel Vieira Lima (ex-ministro)R$ 1,5 milhão
12. Gim Argello (ex-senador)R$ 1,5 milhão
13. Inaldo Leitão (deputado federal)R$ 100 mil
14. Jaques Wagner (ex-ministro)R$ 9,5 milhões
15. José Agripino (senador)R$ 1 milhão solicitado por Aécio Neves
16. Katia Abreu (senadora)teria acertado ajuda financeira com Marcelo Odebrecht
17. Lúcio Vieira Lima (deputado federal)entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão
18. Marco Maia (deputado federal)R$ 1,3 milhão
19. Moreira Franco (secretário do governo Temer)recursos para Temer
20. Renan Calheiros (senador)teria sido beneficiado por parte dos R$ 22 milhões do PMDB
21. Rodrigo Maia (presidente da Câmara)R$ 100 mil
22. Romero Jucá (senador)teria nNegociado para o PMDB R$ 22 milhões
23. Romário (senador)foi pedida contribuição para sua campanha, mas a empresa não fez
24. Bruno Araújo (deputado federal)foi pedida contribuição para sua campanha, mas a empresa não fez)
25. Adolfo Viana (deputado estadual na Bahia)R$ 50 mil
26. Lídice da Mata (senadora)R$ 200 mil
27. Daniel Almeida (deputado federal)R$ 100 mil
28. Paulo Magalhães Júnior (vereador em Salvador)R$ 50 mil
29. Hugo Napoleão (deputado federal)R$ 100 mil
30. Jutahy Magalhães (deputado federal)R$ 350 mil
31. Francisco Dornelles (vice-governador do Rio)R$ 200 mil
32. Carlinhos Almeida (vereador em São José dos Campos-SP)R$ 50 mil
33. João Almeida (deputado federal)R$ 500 mil
34. Rui Costa (governador da Bahia)R$ 10 milhões
35. Paulo Skaf (presidente da Fiesp)teria sido beneficiado com R$ 6 milhões da verba acertada com Temer


Codinomes:
Romero Jucá: Caju. 
Renan Calheiros: Justiça.
Geddel Viera Lima: Babel; 
Lúcio Viera Liva: Bitelo
Eliseu Padilha: O Primo; 
Moreira Franco: o Angorá. 
Eduardo Cunha: Caranguejo
Jacques Wagner: Polo
Delcídio do Amaral: Ferrari.
Rodrigo Maia: Botafogo
Gim Argello: o Campari
Ciro Nogueira: Cerrado, Pequi e Helicóptero
José Agripino Maia: Pino ou Gripado
Inaldo Leitão (ex-deputado federal): Todo Feio
Duarte Nogueira (prefeito eleito de Ribeirão Preto): Corredor
Antonio Brito (deputado federal): Misericórdia
Paes Landim: Decrépito
Heráclito Fortes: Boca Mole
Arthur Virgílio: Kimono
José Carlos Aleluia: Missa
Lídice da Mata: FeiaFrancisco Dornelles: Velhinho

Postagens mais visitadas deste blog

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal

Foi apresentado nesta sexta-feira(14) para um pequeno grupo de autoridades, empresários e corretores de imóveis em Arroio do Sal, o projeto de construção do novo porto marítimo do litoral norte do RS. Um grupo de investidores russos, do Grupo Doha Investimentos e Participações SA, vai construir o porto, em Arroio Seco/Arroio do Sal. Cerca de 25 mil empregos diretos e indiretos deverão ser gerados a partir da operação do porto. Os empreendedores russos têm 1 bilhão de dólares, para investir. O dinheiro já está garantido. A ideia é aproximar o comércio brasileiro da União económica euro-asiática. Um mercado comum que abrange 170 milhões de pessoas e significa um PIB da ordem dos US$ 2,2 trilhões de euros. Atualmente, a organização é composta pela Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão e Rússia. O empreendimento vai modificar sobremaneira a realidade dos municípios do litoral norte, sem contar a valorização imobiliária prevista no entorno.

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Em delação premiada, o advogado Alexandre Correa Romano, da Odebrecht, contou para a Polícia Federal como manteve tórrido romance com Gleisi num hotel de luxo dos Alpes da Suíça. Lá onde o calor dos corpos costuma afastar o frio, Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT, entregou seu coração ao amante. E Paulo Bernardo, o marido traído, ficava em Brasília, seja como ministro do Planejamento, seja ocupando a cadeira principal do Ministério das Comunicações, enquanto sua estrela predileta flutuava em na realização de suas fantasias eróticas. O jornalista Mino Pedrosa conta em detalhes escandalosos as razões que estão por trás do apelido que a Odebrecht aplicou na senadora Gleisi Hoffman No rastro do advogado Alexandre Correa Romano, a Polícia Federal encontrou um flat que era utilizado para guardar dinheiro e encontros clandestinos e amorosos. Segundo documentos da Operação Lava Jato, o flat fica na rua Jorge Chamas, 334, apartamento 44, em São Paulo. Romano recebia hósp

Russos querem mesmo construir porto em Arroio do Sal

O deputado federal gaúcho Bibo Nunes apresentou ao governador Eduardo Leite, sexta-feira, o protocolo de intenções que demonstra o interesse de grupos privados russos em investir um total de R$ 3,56 bilhões na construção de um porto em Arroio do Sal, Litoral Norte do RS. O investimento, inicialmente projetado em cerca de 1 bilhão de dólares pelo secretário do Meio Ambiente, Agropecuária e Pesca de Arroio do Sal, Luis Schmidt, pode chegar a US$ 2,8 bilhões. A prefeitura já concedeu viabilidade econômica para o projeto. São necessárias outras liberações. Além dos investidores russos, há investidores brasileiros, como a Doha, com experiência em portos, o Grupo Del Rio, a IG Consultoria e a GS Business. A intenção do grupo, segundo o prefeito Bolão, é instalar a pedra fundamental da obra em março de 2020.