Cármen Lúcia não pretende esperar novo ministro para relatar Lava Jato

A decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, de homologar a delação da Odebrecht antes mesmo de definido quem será o novo relator da Lava-Jato na Suprema Corte aumentou a tensão no meio político. Se alguém esperava que a saída de cena do ministro Teori Zavaski seria suficiente para uma trégua nas investigações, pode esquecer. Como bem lembrou o ex-senador Pedro Simon, no Correio, nada vai parar a Lava-Jato. No twitter e Facebook crescem a cada minuto a desconfiança de que a morte prematura de Teori não foi um simples acidente. As investigações dirão em breve o que aconteceu no fatídico vôo da tarde desta quinta-feira.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS