Revista Istoé publica matéria para desqualificar Janot

A última edição da revista Istoé traz reportagem contra o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A reportagem de capa assinada por Débora Bergamasco, conta que as mais recentes ações de Janot, muitas das quais controversas, revelaram que ele age por interesses pessoais e políticos. A reportagem é toda ela baseada na gravação de uma conversa entre o procurador Ângelo Goulart e a procuradora potiguar Caroline Maciel, diretora da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).

Ângelo Goulart foi preso, a pedido de Janot, por receber dinheiro da JBS para vazar informações. Na conversa, ele é avisado que Janot estaria perseguindo todos que apoiassem a candidatura de Raquel Dodge à sucessão dele. Raquel seria a preferida de Temer. O senador José Agripino Maia, por exemplo, teria sido denunciado pelo procurador-geral da República apenas por ter manifestado apoio a Dodge.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deixa o cargo em 17 de setembro, e acabou recuando da ideia de um terceiro mandato, mas, de acordo com a revista Istoé, permanece empenhado, mais do que nunca, em evitar a ascensão de Raquel Dodge. Concorrem contra ela, Nicolao Dino e Mário Bonsaglia, hoje os preferidos do procurador-geral. A reportagem tá com cara de ter sido financiada por alguém do jaburu.

POSTAGENS MAIS VISITADAS