Privatizações, envolvendo governos estaduais e prefeituras, pode alcançar R$ 80 bilhões

A privatização ou a concessão para o setor privado tornaram-se indispensáveis para dar a empresas e serviços geridos por governo a racionalidade administrativa, a eficiência operacional e a redução dos custos que resultam em ganhos para usuários e contribuintes.

Levantamento feito pelo Estado de SP, indica que a nova onda de privatizações, envolvendo governos estaduais e prefeituras, pode alcançar R$ 80 bilhões, um valor sem dúvida expressivo para cofres públicos hoje vazios. O cálculo inclui apenas a venda de empresas e serviços ligados a energia elétrica, gás natural, saneamento básico e iluminação pública. Há investidores interessados nessas atividades, entre eles grandes grupos estrangeiros, além de empreendedores em busca de oportunidades na área de infraestrutura. Entre os ativos a serem privatizados, alguns despertam interesse maior, porque a modelagem está mais avançada ou porque pertencem a setores em que a presença do capital privado já está consolidada. É o caso do setor de energia elétrica, que, nos cálculos preliminares, deve absorver cerca de R$ 30 bilhões do total de R$ 80 bilhões. Em Bento a lei de Parcerias Público Privada deve ser enviada pela Prefeitura à Câmara nos próximos dias. Com ela, se aprovada, o município já deve dar inicio a publicação de vários editais, como o da Iluminação Pública, cujo estudo de modelagem já está em fase final.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS