Triste e revoltante o que está acontecendo nas belissímas praias do nordeste

Imagem relacionada
Considerado o maior e mais devastador desastre ambiental já ocorrido no litoral do Brasil, o imenso derramamento de óleo cru, que vai invadindo as praias paradisíacas do Nordeste, prossegue livremente em seu trajeto de poluição e morte desde 30 de agosto. A contaminação atinge uma área costeira de mais de 2 mil e duzentos quilômetros e ainda pode aumentar muito de extensão, dependendo da movimentação das correntes marinhas.
O mais preocupante é que, desde que foi dado o alerta para esse problema, o improviso e a lentidão das autoridades demonstram, mais uma vez, o pouco preparo e a ausência de uma estratégia de emergência para combater calamidades dessa magnitude, já que, ao longo dos mais de oito mil quilômetros do litoral do país, trafegam, dia e noite, enormes petroleiros carregados de óleo bruto, cujo o destino e rotas as autoridades parecem desconhecer ou prestar pouca atenção.
Na falta de uma ação eficaz por parte do governo, voluntários recrutados entre a população vão se revezando no trabalho de recolher manualmente o que podem. Há notícias de que já foram recolhidas cerca de 600 toneladas de óleo bruto. Lamentável!
Não fosse a ação desses grupos de voluntários, alarmados com a possibilidade de perderem turistas nesse verão que se aproxima, o problema seria ainda mais dramático. A poluição de muitas praias dessa região, algumas consideradas entre as mais belas dos trópicos, pode afetar, de forma drástica, a principal fonte de renda de muitas famílias nordestinas que vivem no litoral e exploram atividades diversas na alta estação. 
Onde estão os ambientalistas? A Petrobrás com sua expertise em matéria de petróleo não poderia ajudar? O IBAMA? E os países que se dizem defensores da natureza, como aqueles que gritaram sobre os incêndios na Amazônia, nada podem fazer?


POSTAGENS MAIS VISITADAS