Bolsonaro diz uma coisa, ministro da saúde diz outra.

Não existe essa ideia de demissão do ministro Mandetta”, diz chefe ...
Bolsonaro mandou mais ministros acompanharem a coletiva diária do ministro da saúde Luis Henrique Mandetta. O argumento é de que as decisões de combate ao coronavírus são transversais, isto é, envolvem mais de uma área.

Nas últimas horas, cresceu a especulação de que o ministro da saúde seria demitido pelo presidente. Aliás o próprio presidente já não esconde mais sua contrariedade diante das posições de Mandetta.

O novo formato de entrevista começou nesta segunda-feira. Participaram da reunião os ministros da Defesa, Casa Civil e Cidadania, além da Advocacia Geral da União (AGU).

O ministro da Casa Civil, general Walter Braga Netto, disse que não existe a ideia de demissão do ministro da Saúde, acrescentando que isso está fora de cogitação no momento.

Escondido, Mandetta falou por apenas 13 minutos, tempo distante das quase duas horas que teve coletiva de imprensa da última sexta-feira (27). Após o pronunciamento dos ministros, as perguntas dos jornalistas se concentraram no ministro da Saúde, que não negou o clima ruim com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“As tensões são normais, até pelo tamanho dessa crise. Seria pequeno da minha parte, achar que esse (briga com presidente) é um grande problema. Não vamos perder o foco, o foco é o coronavírus”, explicou Mandetta.

Mesmo com pouco tempo de fala durante a coletiva, Mandetta manteve sua postura anti-Bolsonaro, quando o assunto é o isolamento da população e afirmou que sua pasta mantém a orientação. "O Ministério da Saúde mantém seu posicionamento sempre científico e técnico.”

POSTAGENS MAIS VISITADAS