Aumento recorde do desemprego na área da OCDE

PIB do Brasil pode cair 9,1%, diz OCDE - O Antagonista
A taxa de desemprego em abril subiu para 8,4%, 2,9 pontos percentuais a mais que em março (5,5%). A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) informou em comunicado que o número de desempregados era de 55 milhões na área em abril: 18,4 milhões a mais que no mês anterior.

O maior aumento é registrado nos EUA, onde o número de desempregados cresceu 15,9 milhões de unidades.

Na Itália, no trimestre foram 2 milhões 565 mil ativações, às quais se somam cerca de 155 mil transformações por tempo indeterminado, totalizando 2 milhões 720 mil ativações. Em relação ao primeiro trimestre de 2019, o volume de contratos ativados, incluindo transformações, diminuiu 10,4%.

A OCDE passou a prever que a economia global vai contrair 6% este ano e irá se recuperar com um crescimento de 5,2% em 2021, desde que o surto seja mantido sob controle.

Segundo as estimativas, o Brasil deve encolher 7,4% este ano e crescer 4,2% em 2021, mas se houver uma segunda onda de surto a contração pode chegar a 9,1% este ano, com crescimento de 2,4% no próximo.

A economia dos Estados Unidos, a maior do mundo, deve contrair 7,3% este ano antes de crescer 4,1% em 2021. No caso de um segundo surto do coronavírus, a recessão norte-americana pode chegar a 8,5% este a ano e a economia cresceria apenas 1,9% em 2021.

Já a zona do euro caminha para um recuo de 9,1% este ano seguido de crescimento de 6,5% no próximo. Mas a recessão pode chegar a 11,5% em 2020 se houver um segundo surto, com crescimento de 3,5% em 2021.

A estimativa para a China mostra uma contração de 2,6% em 2020 com expansão de 6,8% em 2021, mas no caso de um segundo surto as perdas este ano chegariam a 3,7% em 2020 seguidas de uma recuperação de 4,5% no próximo ano.

Fonte: UOL

POSTAGENS MAIS VISITADAS