Naturalização da Corrupção

“Se constatou a naturalização da corrupção”, já dizia o juiz Sergio Moro em 2015 Essa naturalização da qual constatou o juiz, parece ainda mais evidente diante das declarações de Lula. Ele está no centro de tudo, mas ainda assim, trata tudo como algo natural, sem gravidade desafiando tudo e todos. Há dois efeitos perversos da naturalização da corrupção. O primeiro é a igualação onde todos os políticos são iguais. O segundo é a justificação, ou seja, a ideia de que a política é assim mesmo e quem faz, não tem culpa, porque são as regras do jogo. Não se pode aceitar que todos os políticos sejamos colocados no mesmo saco e conceber que esse jogo tenha que ser assim. Temos uma noção de senso comum, no Brasil, de que a corrupção é culpa dos políticos, que a política é sinônimo de corrupção. É preciso pensar em elementos novos para a democracia brasileira e para toda nossa sociedade. Mas tem político muito bom por aí.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal