Sem votos necessários Piratini recua ao propor urgência nos projetos

A Assembleia gaúcha aprovou, nesta terça-feira (25), a retirada do regime de urgência de cinco projetos de autoria do Executivo que integravam o pacote de cortes encaminhado pelo governador José Ivo Sartori no último ano. Sem garantir os votos necessários para a aprovação dos textos e temendo derrota em plenário, o Piratini recuou. ntre as emendas constitucionais que o Executivo espera votar nas próximas semanas, está a que prevê a retirada da obrigatoriedade de plebiscito para a privatização da CEEE, Sulgas e Companhia Rio-grandense de Mineração (CRM). Para aprovar a medida, são precisos 33 votos, algo que tá complicado garantir. Além de dissidências de deputados de partidos aliados, o PDT, que conta com sete deputados, decidiu deixar a base de apoio de Sartori no Legislativo. Sem a urgência dos projetos o PL que prevê mudanças na aposentadoria de brigadianos e no regime de trabalho de agentes penitenciários irá demorar para ser votado.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal