Tá complicado em Brasília e no RS também

A Câmara dos Deputados chegou a abrir nesta segunda-feira (10) a sessão para votar o projeto que prevê recuperação fiscal dos estados em crise financeira, mas adiou de novo a análise da proposta. A nova tentativa de votação do texto ficou para esta terça (11). Enviado pelo presidente Michel Temer, o projeto estabelece que haverá suspensão do pagamento das dívidas estaduais com a União por três anos (prorrogáveis por mais três), desde que sejam adotadas medidas de ajuste fiscal, as chamadas contrapartidas. A discussão em plenário sobre a proposta começou na quarta-feira (5) da semana passada, mas, com baixo quórum, a votação foi adiada em um dia. Na quinta (6), novamente com baixa presença de deputados, a análise do projeto ficou para esta segunda (10). O governador do RS, Sartori, está em Brasília em busca de apoio dos parlamentares na votação. Entre as contrapartidas exigidas está a da privatização ou federalização da CEE, Sulgás e CRM. Nesta segunda-feira o PDT anunciou definitivamente sua saída do governo Sartori. Isso complica muito a possibilidade de votação na Assembleia gaúcha do pedido do governo Sartori em isentar de plebiscito a venda das estatais. As dificuldades aumentam, tanto em Brasília para liberar o RS da exigência de contrapartida, como no Estado em aprovar o pacote entre os deputados.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal