O crescimento das exportações de móveis a países árabes do Golfo foi destaque de janeiro a julho

Segundo dados divulgados agora pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), do Rio Grande do Sul. Emirados Árabes Unidos, com crescimento de 90%, Arábia Saudita, com alta de 67%, e Omã, com embarques 47% superiores, foram alguns dos mercados com desempenho relevante no período, devido a algumas ações do setor. Um dos motivos foi a participação brasileira na feira Index Design Series que foi realizada em Dubai. No mercado árabe, o móvel brasileiro compete principalmente com produtos asiáticos. Leva vantagem por oferecer, além do preço mais baixo, um design diferenciado, que é algo que os consumidores árabes procuram, especialmente na Arábia Saudita. De janeiro a julho, os embarques para os Emirados somaram US$ 2,967 milhões, deixando o país na 18ª posição do ranking de clientes do produto nacional. A Arábia Saudita ficou na 40ª posição, mas subiu 11 postos na comparação com 2016, com US$ 574 mil em embarques. Omã foi o 55º maior mercado no geral – à sua frente, também árabes, apareceram Argélia (53º) e o Catar (54º), mas ambos registraram queda na comparação com os primeiros sete meses do ano passado. Para Bento Gonçalves, isoladamente, os Emirados Árabes foram o 14º principal mercado e a Arábia Saudita o 16º no período. Omã ficou na 35ª posição. Os três apresentaram crescimento mais vultosos que o total geral do Brasil: 75%, 279% e 10.558%, respectivamente.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal