Assembleia gaúcha tem hoje importante decisão para o futuro do Rio Grande

O governador Sartori, obrigando a buscar ajustes fiscais que já duram três anos e que poderiam ter sido resolvidos há bastante tempo, submete hoje a votação dos deputados gaúchos o pedido de adesão ao RRF dos Estados (repactuação da dívida com a União). O Regime de Recuperação Fiscal é um pacote de medidas de ajuste fiscal proposto pelo governo do estado em troca da suspensão temporária do pagamento da dívida estadual com os cofres da União. O socorro federal é uma tentativa de solucionar os problemas financeiros do Piratini, que significaria um fôlego nas finanças estaduais de R$ 11,8 bilhões nesse período

Sartori tem um enorme desafio. O acordo com o governo federal prevê um contingenciamento e um esforço tremendo de ajuste nas contas públicas que deverão acabar com privilégios e negociatas que perduram há anos no estado. O empreguismo será um deles. Será preciso privatizar de três empresas: a CEEE, a Companhia Riograndense de Mineração (CRM), e a Sulgás. Além disso o acordo não permite qualquer aumento de despesa com pessoal, novos reajustes ou incorporações; criar cargos; alterar estruturas de carreiras; realizar concursos; aumentar auxílios; não criar despesas obrigatórias e não conceder ou ampliar incentivos.

Não fosse a feroz oposição que movem PT e seus aliados Psol e PCdoB, sindicatos e organizações interessadas em defender corporativismos e empreguismos, tudo seria mais fácil, porque convenhamos, esse tipo de acordo é o que grande parte da sociedade gaúcha espera do Estado.

Sartori precisa de 28 votos, para isso mandou exonerar dois deputados/secretários do PP para engrossar a votação. Ainda assim corre o risco de que fique tudo para 2018. A oposição tentará até a última hora empurrar a decisão para uma convocação extraordinária, de 29 a 31 de janeiro.

A adesão ao RRF, o que significa renegociar a dívida com a União, é considerada condição indispensável para tirar o Estado da crise nesta e na próxima gestão.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal