Justiça Fiscal: Georreferenciamento em Bento visa corrigir informações

A partir do próximo dia 16, 85 mil edificações de Bento Gonçalves serão visitadas por funcionários de uma empresa contratada pelo município para concluir o trabalho de georreferenciamento. Além de fotos das fachadas dos imóveis, os funcionários vão coletar informações junto aos moradores como, por exemplo, a utilização dos serviços públicos.

O trabalho de georreferenciamento, feito pela empresa Geopix Solução em Tecnologia, ocorreu dezembro do ano passado, com a coleta de imagens aéreas. Com os dados obtidos, os carnês do IPTU de 2018 de construções que foram alteradas sem que os proprietários comunicassem a prefeitura foram entregues já com as informações atualizadas.

De acordo com a secretária de Finanças, Mariana Largura, o primeiro semestre de 2018 teve aumento de 14% na arrecadação do IPTU em comparação com o primeiro semestre do ano passado. Para Mariana, o aumento se deve ao georreferenciamento, já que o imposto não teve reajuste nesse ano porque é definido pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que não registrou variação positiva em 2017.

Ainda conforme a secretária, a visita aos imóveis das áreas urbana e rural se estenderá por dois meses. O objetivo, segundo ela, vai além da revisão dos imóveis.

— Tudo estará mapeado, com informações sobre Plano Diretor, informações da área da saúde e educação - exemplifica a secretária.

Segundo a prefeitura, os agentes de pesquisa estarão uniformizados e devidamente identificados. Quem não for encontrado nos imóveis, receberá uma notificação para comparecer na Secretaria de Finanças para atualizar os dados. ( Fonte: ZH)

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal