45% apoiam Nova Previdência segundo pesquisa de maio da XP-Ipespe


A sétima pesquisa da série XP Ipespe mostra, pelo terceiro mês seguido, tendência de alta na avaliação negativa da população em relação ao governo Jair Bolsonaro. O percentual dos entrevistados que classificam a atuação do governo como ruim ou péssima oscilou (dentro da margem de erro) de 26% para 31%. Considerando a redução de quatro pontos percentuais entre as pessoas que não responderam ou não sabiam avaliar, é provável que entrevistados desse grupo tenham migrado para uma avaliação negativa do governo. Em contraponto, se manteve estável no último mês o percentual de entrevistados que avaliam como ótimo e bom o atual governo.

Nesta rodada, a pesquisa voltou a medir a opinião da população sobre personalidades da política brasileira. O ministro da Justiça, Sérgio Moro, permanece com a melhor nota (6,5), seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (5,7) e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes (5,7). Na outra ponta, Rodrigo Maia teve nota 4,1 e Fernando Haddad nota 3,8.


VICE-PRESIDENTE

Os entrevistados foram questionados também sobre a atuação do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e 39% classificaram como ótimo e bom seu desempenho, enquanto 20% avaliaram como ruim ou péssimo. Perguntados sobre a contribuição de Mourão para o governo, apenas 11% dos entrevistados responderam que o vice-presidente colabora negativamente e outros 82% classificaram como positiva ou neutra a contribuição.


PREVIDÊNCIA

Pela primeira foi perguntado a opinião dos entrevistados sobre a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo Jair Bolsonaro. A PEC da Nova Previdência tem o apoio de 45% da população, ainda que 21% divirjam parcialmente do texto proposto. Outros 50% discordam da PEC, mas nesse grupo 22% acreditam que alguma reforma seja necessária. Ainda assim 74% dos entrevistados contam com a aprovação da proposta de Bolsonaro, mesmo que haja alterações. O percentual de entrevistados que reconhecem a necessidade de mudanças nas regras da Previdência no Brasil manteve o patamar dos últimos meses, tendo oscilado de 61% para 62%.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal