27 dias pode ser o tempo limite que as empresas poderão aguentar paradas sem quebradeira. A vida em primeiro lugar!

Interessante o estudo publicado pela JPMorgan Chase Institute envolvendo cerca de 597 mil pequenas empresas, onde mostra quantos dias cada empresa, dependendo o setor, poderia aguentar com caixa suficiente para custear seu negócio parada.

Em um cenário levantado pelo JPMorgan Chase Institute, em 2015,  foi constatado que metade desses negócios possuía caixa o suficiente para custear seu negócio por 27 dias. Menos de um mês. Um quarto dos negócios possuem menos de 13 dias de caixa de reserva.

Somos um país e um Estado mantido pelos micro e pequenos negócios. São eles quem mais empregam, movimentam a economia e muitos deles estão impedidos de funcionar graças ao atual momento, causado pela pandemia mundial de Covid-19, o novo Coronavirus.

Desde antes dessa crise, era necessária uma política voltada à manutenção de negócios, tendo como objetivo o fortalecimento de negócios e regulamentação de profissionais informais, principalmente levando em consideração que ainda temos um desemprego que atinge mais de 12% da população. Agora com a pandemia será ainda mais crucial.

É preciso sim, manter a saúde pública, resguardar os nossos, manter a calma, mas o Brasil precisa de objetividade para detalhar as ações que resguardem emprego, determine de forma efetiva o que realmente poderá funcionar e dentro de quais normas, buscando resguardar a saúde de negócios e pessoas.



Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal