Vendas no varejo caem 30,5% em maio, segundo ICVA

Afetadas pela propagação da covid-19, as vendas no varejo brasileiro caíram 30,5% em maio, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o ICVA recuou 29,5 %.

O calendário prejudicou levemente maio deste ano em comparação com maio de 2019. Sendo assim, o ICVA deflacionado com ajuste de calendário registrou queda de 29,4% e 28,3% em termos nominais.

Dividindo por três grandes setores, temos: bens duráveis, -31,6%; bens não duráveis, -1,1%; serviços, -16,1%. Alguns ramos apresentaram recuperação, como materiais de construção, +5,5%, e supermercados, +16,1%. Os que mais perderam até agora: vestuário, -98.7%; bares e restaurantes, -60,4%; postos de gasolina, -33,8%.

Todas as regiões apresentaram queda em relação a maio de 2019. Segundo o ICVA deflacionado com ajuste de calendário, a região Sudeste apresentou a maior queda em maio de 2020: -34,2%. Na sequência aparecem as regiões Nordeste (-31,4%), Norte (21,7%), Centro-Oeste (-19,2%) e Sul (-17,3%).

Pelo ICVA nominal – que não considera o desconto da inflação – com ajustes de calendário, o destaque também foi a região Sudeste: (-32,8%). Em seguida aparecem: Nordeste (-30,2%), Norte (-18,9%), Centro-Oeste (-18,5%) e Sul (-16,4%).

No entanto, comparado a abril, já há uma recuperação em todas as regiões, com exceção da região Norte que apresentou comportamento similar ao mês anterior.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal