RS entra em Bandeira preta, geral e irrestrita

O colapso do sistema de Saúde no RS foi agravado por diversos fatores, como a circulação de novas cepas do vírus chinês, o aumento do número de pacientes aguardando leitos de UTI, a quantidade de pessoas com quadros semelhantes de agravamento do vírus, o crescimento do tempo de internação. É o que os médicos dizem.

Por outro lado, o governo do Estado informou, nesta sexta-feira(26) que todas as regiões do Rio Grande do Sul vão ficar em bandeira preta, ou seja, maior risco epidemiológico no modelo de Distanciamento Controlado. Além de regras mais rígidas, o modelo de cogestão, adotado entre regiões e o Estado foi suspenso por uma semana, para tentar frear o avanço da doença. Com isso, as novas regras entram em vigor no sábado, 27, e seguem até a semana seguinte.

Com a decisão, todos os protocolos deverão ser impostos, sem alteração. O governador Eduardo Leite alertou, mais uma vez, sobre a grave crise na saúde e o possível colapso no sistema, visto que a ocupação de leitos de UTI está em 91,9%, ou seja, dos 2.707 espaços no RS, 2.488 estão ocupados com pacientes de covid-19 e de outras comorbidades. Cerca de 53% das internações nos hospitais gaúchos são ocasionadas por infectados pela doença.




Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal