Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2016

Masutti Copat prospecta negócios na Colômbia

A bentogonçalvenses Masutti Copatt que em 2015 exportou quase três vezes a mais no comparativo com o ano anterior , inicia 2016 de olho no mercado da América Latina. A empresa é uma das confirmadas na M&M, feira para os segmentos florestal e de madeira e móveis, que ocorre em Bogotá, na capital da Colômbia, entre os dias 09 e 12 de março. Sua participação integra a comitiva de marcas brasileiras que chegam até o encontro pela articulação com o Projeto Orchestra Brasil (parceria entre o Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, Apex-Brasil). Na feira a Masutti Copat se prepara para exibir seu portfólio de acessórios para móveis e soluções para toda a casa: coleções para cozinha, área de serviço e dormitórios, com variedade de peças e opções para atender às necessidades de quem procura mais conforto e praticidade no dia a dia. São cerca de 1,1 mil itens.

Crise e desemprego

A crise provocada por uma “nova matriz econômica”, composta pelo relaxamento da política fiscal; pela tentativa de forçar a desvalorização do câmbio e a queda dos juros; e pelo aumento e reforço de uma série de mecanismos de intervenção do Estado na economia estão produzindo efeitos desastrosos em todos os setores produtivos no País. Basta ver os índices de desemprego de 2015. Em Bento, não foi diferente, o ano terminou com 1.926 postos de trabalho fechados. Mas tem um detalhe: Empreendedorismo. Na capital brasileira do Vinho, grande parte dos que perderam emprego, tornaram-se microempreendedores individuais e partiram para administrar seu próprio negócio, a maioria na prestação de serviços. O ambiente favorável e as condições de apoio e incentivo do poder público municipal fizeram a diferença. Na contramão da crise econômica que atinge o país, Bento Gonçalves registrou aumento de 10,18% no número de empresas abertas até o mês de outubro, de acordo com levantamento da Secretaria Munici

Ações da Unicasa

Em 27 de abril de 2012, noticiava-se “Ações da Unicasa operam em alta em dia de estreia na bolsa”. Nada surpreendente para um novo negócio que passa a ser ofertado publicamente na bolsa de valores. Naquele dia a oferta inicial era R$ 14 e foram vendidas 45% das ações da empresa a R$ 14,00 cada uma. Com a venda foram arrecadados R$ 425,6 milhões. Hoje, 42 meses depois, as ações da Unicasa estão na casa de R$ 1,55 (valor do dia 20 de janeiro), perda de 90,53% e com isso o valor da empresa desabou do R$ 1,094 bilhão para R$ 103,6 milhões. À época, o BTG tinha 5,13% do capital, que correspondia a mais de R$ 56 milhões. Hoje, se o BTG tivesse mantido as ações, teria exatos R$ 5.314.772,34, mas vendeu rapidamente. Ficou a certeza de que no caso da Unicasa o negócio não deu certo. Hoje existem 43% do total de ações da Unicasa no mercado e quem quiser pode comprar tudo pela bagatela de R$ 44.548.774,00. Fazer o que, até as ações da Petrobrás estão valendo menos do que passagem de ônibus.

Di Paolo chega à Santa Catarina

Já está de portas abertas o 11º restaurante Casa DiPaolo e o primeiro fora do Rio Grande do Sul. A nova unidade fica no complexo das lojas Flamingo, entre Itapema e Camboriú, em Santa Catarina, gerenciada pelo sócio Roberto Geremia, irmão do Paulo Geremia, que iniciou o negócio. Hoje, o Grupo Di Paolo está presente em Garibaldi, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, Gramado, Porto Alegre e Recanto Maestro.

Safra menor

As previsões negativas sobre a quebra na safra das uvas deste ano seguem sendo pronunciadas por técnicos, lideranças do setor e pela imprensa. A combinação desastrosa de granizo, geada e excesso de chuva no segundo semestre de 2015 que atingiu parreirais é o motivo. Mesmo sem números oficiais das perdas, estimativas indicam quebra de 30% a 50% da produção. Resultado: Vinícolas terão que buscar alternativas para suprir a diminuição de matéria-prima e produtores terão que encontrar meios para refinanciar débitos bancários .

Personalização do vinho

Neco Argenta, da Vinícola Luiz Argenta teve uma boa ideia para agregar valor ao seu produto e a marca da vinícola. Nomes de executivos de grandes empresas brasileiras estão demarcados em barricas de vinhos exclusivas e armazenadas cuidadosamente no subsolo cheio da Luiz Argenta, em Flores da Cunha. Gravar o nome na barrica, e ter seu conteúdo exclusivo para consumo pode custar caro, mas é único. Tendo por base que o vinho mais barato da Luiz Argenta custa R$ 62 e o mais caro chega a R$ 310, comprar uma barrica pode custar mais de R$ 100 mil, já que ela tem capacidade de encher até 1,2 mil garrafas de 700ml. Talvez por isso executivos que participaram da primeira edição do projeto sejam de empresas como Marcopolo, Coca-Cola, do ramo do petróleo e de móveis.

Dilma aumenta imposto sobre vinho

Comemorar antecipadamente dá nisso. Em dezembro o setor vinícola chegou a comemorar a aprovação pelo Congresso da diminuição do IPI sobre vinhos. Teve político disparando nota para imprensa se vangloriando da decisão. Mas, a presidente da República, Dilma Rousseff, vetou a medida e introduziu mudanças que mantêm o imposto alto. Ele será calculado com alíquota sobre o preço de cada produto (antes, era uma taxa fixa por quantidade produzida, independente do valor). Uma garrafa de vinho de 750ml pagava taxa fixa de R$ 0,73. Agora, será 10% do preço.

Dirceu Scottá assume a presidência do Ibravin

O enólogo da Dal Pizzol Vinhos Finos, Dirceu Scottá assume no dia 1º de janeiro a presidência do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) para o biênio 2016/2017. Scottá estará acompanhado de Oscar Ló, eleito vice-presidente e atual presidente da Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho). Scottá, que também comanda a União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra) e já foi presidente da Associação Brasileira de Enologia por duas gestões no período de 2004 a 2007.

Vinho de Bento é escolhido para as Olimpíadas

Comitê Olímpico selecionou vinícola do Vale dos Vinhedos para produzir linha exclusiva com marca Rio 2016.Bento Gonçalves participará das Olimpíadas deste ano de uma forma bastante característica: com vinhos. O Comitê Organizador dos Jogos anunciou, esta semana, que a Lidio Carraro Vinícola Boutique, do Vale dos Vinhedos, foi escolhida para produzir vinhos e espumantes exclusivos com a marca Rio 2016. Para o prefeito Guilherme Pasin, a escolha engrandece a região e o setor. “Ver uma marca do município com tanta qualidade representando Bento Gonçalves em um evento internacional é orgulho para todos nós. Bento já se consagra como a primeira medalhista dos jogos”, diz. O lançamento oficial da linha ocorre em fevereiro.

Parceira entre prefeitura de Bento e Sindmóveis beneficia população

Uma parceira entre a Prefeitura de Bento Gonçalves e a Movelsul Brasil - Feira de Móveis promovida pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) - está proporcionando melhorias no playground da Praça Achyles Mincarone, no bairro São Bento. A diretoria da 20ª edição da Movelsul Brasil criou o projeto Somos Móveis, que prevê diversas ações comunitárias contemplando. Entre elas, está a revitalização daquele espaço público destinado às crianças, com a instalação de brinquedos exclusivos. As obras já estão em andamento e deverão ser concluídas até o dia 23 de janeiro, quando o novo espaço será entregue oficialmente para a população.Os novos brinquedos foram desenhados voluntariamente por seis estúdios de design da cidade: Bria Design, Eduardo Nuncio, Intervento Design, Projeto3 Design e Arquitetura, Studio Marta Manente e UNT Design. O projeto segue as normas vigentes de fabricação e conta com o suporte de um arquiteto responsável. O custeio dos brinquedos fico

Nova Fruki

A Fruki, de Lajeado, define até 31 de março o local onde vai construir a nova fábrica. Será comprada uma área de até cem hectares. As negociações ainda seguem.Mais de 60 municípios enviaram propostas. A fábrica deve estar pronta em 2020. Vai produzir refrigerantes, chás, sucos, isotônicos e energéticos. A Fruki já constrói em Pelotas, no Sul do Estado, um moderno Centro de Distribuição. A obra é em um terreno de 30 mil metros quadrados. Vai atender a demanda por bebidas de toda a Zona Sul do Estado.

Cerveja Leopoldina da Casa Valduga

Conhecida pela qualidade dos vinhos e espumantes que produz, a Casa Valduga não deixou de observar o crescimento do mercado de cervejas especiais e artesanais. A aposta neste segmento começou a ser examinada, em reuniões internas, a partir de 2013. Entre 2014 e 2015, iniciaram uma pequena produção para ser oferecida aos visitantes da vinícola. Agora o projeto é fazer de 2016 um ano em que a Leopoldina se faça presente de forma mais incisiva no mercado. O nome Leopoldina, além de homenagear a primeira imperatriz do Brasil, Maria Leopoldina, a escolha faz referência à rua onde a Casa Valduga fica localizada no Vale dos Vinhedos: Leopoldina - principal caminho do vale e responsável por sua existência. A cerveja conta com cinco rótulos: IPA (foto), Leopoldina Old Strong Ale, Leopoldina Weissbier, Leopoldina Witbier, Leopoldina Pilsner. A produção é pequena: 40 mil litros/mês, mas o projeto é produzir 300 mil. A microcervejaria está sendo preparada para receber a visitação do público, servi

Semana Internacional da Madeira em Curitiba

Entre os dias 06 e 11 de março de 2016, Curitiba (PR) vai sediar seis eventos da Semana Internacional da Madeira: Lignum Brasil, 2ª Expo Madeira & Construção, Wood Trade Brazil, Encontro Brasileiro de Energia da Madeira, XV EBRAMEM (Encontro Brasileiro em Madeiras e em Estruturas de Madeira), 59ª SWST International Convention (Society of Wood Science and Technology) e a reunião de Associados da ABIMCI (Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente). A SIM proporcionará aos empresários do setor madeireiro, além de arquitetos, engenheiros e profissionais da construção civil, a oportunidade de conhecer mais do potencial da madeira e as máquinas e equipamentos disponíveis para a transformação e beneficiamento. Nas feiras, estarão em exposição as últimas novidades para trabalhar a madeira, já nos eventos técnicos serão discutidos temas relacionados aos produtos madeireiros, tecnologia, mercado, por meio de palestras técnicas de especialistas na área.  ​ ​

Município de Bento Gonçalves obtém liminar para garantir repasses à saúde

Excelente vitória para o Município de Bento Gonçalves. Procuradoria garante liminar em mandado de segurança contra o Estado e o Governador do Rio Grande do Sul para que os repasses na área da saúde sejam efetuados de forma regular e em dia conforme determina a legislação. São cerca de R$ 5 milhões que estão em atraso.

Inflação é maior para os mais pobres

A política econômica populista empreendida nos períodos de Lula e Dilma cobra agora o seu preço. Enquanto a inflação oficial, o IPCA, ficou em 10,67%, e o IPC (medido pela Fundação Getulio Vargas e referente a famílias com renda entre um e 33 salários mínimos) foi de 10,53%, no ano passado os mais pobres amargaram uma inflação de 11,52%. O dado é do IPC-C1, índice também medido pela FGV e que se refere às famílias com renda mensal entre um e 2,5 salários mínimos. Ou seja, a inflação é mais alta para os mais pobres. E os grandes vilões da inflação da baixa renda em 2015 foram três grupos: transportes (com alta de 13,2%), alimentos (13%) e habitação (14,6%). Note-se que, desses três grupos, dois incluem preços diretamente controlados pelo poder público, como transporte coletivo, energia e combustíveis – e esses itens ainda têm impacto decisivo sobre outros preços, como os dos alimentos. O governo do PT vendeu uma ilusão ao povo brasileiro e todos, especialmente os mais pobres, estão desc

Safra da uva menor em quantidade

Técnicos da Emater e das vinícolas apontam que o ano foi de pouco frio no Rio Grande do Sul; quando o frio apareceu, em meados de setembro, as geadas atrapalharam, pois atingiram os parreirais já brotados; as chuvas intensas e frequentes na fase de floração também prejudicaram e o ciclo da parreira, que dificilmente é repetido a cada ano com alta produção também tem que ser considerado, ou seja, se uma planta produz muito em um ano, no outro deverá produzir menos.O Estado tem, atualmente, 44 mil hectares plantados, sendo 38 mil nas regiões da Serra e Campos de Cima. A maioria fala em quebra de 30%, mas os mais pessimistas chegam a prever 50% a menos.

Médicos recusam empregos

Chega a 63% o número de médicos que se recusam a assumir empregos em concursos públicos de prefeituras e estados, segundo o jornal O Globo. Os maiores índices estão nas grandes capitais. Precárias condições de trabalho, salários pouco competitivos, falta de plano de carreira e demora na convocação são os fatores apontados para o desinteresse em vagas na rede pública.Dois em cada três médicos que foram convocados nos últimos anos para trabalhar em unidades das prefeituras de São Paulo e Belo Horizonte recusaram o emprego. Na capital paulista, dos 1.275 médicos chamados, 809 (63,5%) não quiseram o cargo. Na capital mineira, o índice é parecido, 63,3%. No Rio e em Porto Alegre, os números são menores, mas ainda assim representam mais da metade dos selecionados respectivamente, 55,3% e 58,8%.