Eleições de 2018 passa pelo desempeho de Temer na presidência


Ter o governo nas mãos sempre foi decisivo no Brasil na questão eleitoral. Se as coisas melhorarem até 2018, ainda que não 100%, certamente isso será atribuído ao Temer. Essa é a estratégia do PMDB e por ela que o governo tem trabalhado agora. Nesse cenário já há sinais. O primeiro deles é de que se Temer não quiser, ele poderia ainda lançar um candidato próprio. E há quem aposte no ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Afinal o que pretende Meirelles num governo de emergência? Outro possível apoio seria em torno do ministro da Relações Exteriores, José Serra. Empossado na Esplanada sem o apoio completo do PSDB, Serra poderia migrar para o PMDB nesse caso. Outro sinal é de que se Temer governar bem, é de duvidar que ele não se candidate.Quanto aos prováveis nomes para a disputa, não há grandes divergências: Aécio Neves (PSDB), Lula (PT), Marina Silva (Rede), Alvaro Dias (PV), Ciro Gomes (PDT) e Jair Bolsonaro (PSC). A dúvida são as condições em que cada um deles chegará ao pleito. E é certo que elas vão depender do desempenho do próprio Temer à frente do governo.

POSTAGENS MAIS VISITADAS