Raquel Dodge toma posse na PGR

Nomeada procuradora-geral da República, Raquel Dodge tomou posse nesta segunda-feira. Ela substitui Rodrigo Janot, que deixa o cargo após quatro anos na chefia do Ministério Público Federal (MPF).

Inicialmente, a posse estava prevista para às 10h30, mas o horário foi alterado para garantir a presença do presidente da República, Michel Temer, na cerimônia.

Temer fez questão de ir, para “colar” sua imagem a de Raquel Dodge, uma vez tratar-se de indicação da presidência. Mas mais do que isso, é também intenção de demonstrar que o seu governo quer apoiar e prestigiar as ações do MPF. Raquel Dodge foi indicada para o cargo pelo presidente Michel Temer a partir da eleição interna da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), que deu origem à lista tríplice enviada ao presidente para subsidiar sua escolha. Além de Temer, Maia, Eunício, Garibaldi, Jorge Viana, Helder Barbalho, Raimundo Carreiro e Perillo estavam presentes, todos investigados na Lava Jato. A posse foi muito prestigiada.

Em sua fala de oito minutos na cerimônia de posse, a nova chefe do Ministério Público prometeu defender a democracia, zelar pelo bem comum e meio ambiente e garantir que ninguém esteja "acima da lei".

Antecessor da nova procuradora-geral, Janot não participou da solenidade alegando "motivos protocolares". Em uma carta enviada no domingo (17) aos integrantes do MPF, o agora ex-procurador-geral desejou à sucessora "sorte e sobretudo energia para os anos que virão".

À frente do MPF, Raquel tem a missão de garantir a continuidade da Operação Lava Jato, que investigou mais de cem políticos de diferentes partidos durante a gestão de Janot, que se tornou o primeiro procurador-geral a denunciar um presidente da República.

POSTAGENS MAIS VISITADAS