Movimento Vem pra Rua vai promover ‘Ato em Defesa da Justiça’ no próximo dia 23,

As informações são da Folha. Haverá manifestações simultâneas em diversas cidades, previstas para ter início às 18h.

“A confirmação da condenação em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo TRF-4, no dia 24 de janeiro, será o maior símbolo do fim da impunidade no Brasil”, afirma o Vem pra Rua, em nota pública

Para a entidade, uma eventual confirmação da sentença condenatória do petista vai atestar ‘que a Justiça no país, de fato, funciona igualmente para todos, independentemente de cargo, influência, poder ou dinheiro’.

No próximo dia 24, o TRF4 põe em pauta o julgamento de Lula, sob grande expectativa.

Três desembargadores da Oitava Turma vão dar o veredicto. O relator é o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, que tem mantido – e até ampliado as punições – as sentenças da primeira instância, da lavra de Moro.

O voto de Gebran Neto já está pronto, mas sua decisão só será conhecida no dia 24. Os outros magistrados podem interromper o julgamento com pedido de vista.

Ao divulgar o ‘Ato em defesa da Justiça’, o Vem pra Rua assinalou que a chamada se dá ’em linha com seu histórico de lutas em nome da sociedade civil’.

“O Vem Pra Rua convoca mais uma vez a sociedade brasileira para ir às ruas na defesa da Justiça.”

O movimento afirma que ‘é a favor da democracia, da ética na política e de um Estado eficiente e desinchado’.

“É contra qualquer tipo de violência, condena todos os tipos de extremismo (separatismo, intervenção militar, golpe de Estado), e não compactua com governos autoritários. Não está associado nem é patrocinado por nenhum partido político e trabalha por um Brasil ético, justo, próspero e com oportunidades iguais para todos.”

A lista de cidades onde o Vem pra Rua vai promover ‘Ato em defesa da Justiça’ no dia 23 será divulgada brevemente pelos organizadores do movimento.

Em São Paulo, a concentração será na avenida Paulista, 1842, em frente à sede do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF3).

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS