Chegou a vez do PP nacional

A Polícia Federal realiza desde o começo da manhã desta terça-feira (24) operação no Congresso Nacional, que tem como alvos o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) e o senador Ciro Nogueira (PP-PI). Também há um mandado de prisão contra o ex-deputado Márcio Junqueira, de Roraima. Na nova fase da Lava Jato, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, aponta a necessidade de obter provas referentes aos crimes de embaraço à investigação de organização criminosa.

Já não era sem tempo que a polícia federal agisse para capturar os corruptos do PP nacional. A Polícia Federal também foi ao apartamento funcional de Ciro Nogueira onde encontrou R$ 200 mil na casa do senador, presidente nacional do PP.

Não é crime guardar dinheiro em casa. Mas convenhamos, é pouco provável que alguém guarde expressiva quantia embaixo do colchão.

A reação do PP gaúcho foi imediata. O vereador Ricardo Gomes, PP de Porto Alegre, mandou nota ao partido com proposta para imediata substituição do presidente nacional , mais ou menos na esteira do que disse esta manhã a senadora Ana Amélia Lemos, que também tem criticado Ciro Nogueira.

O PP do RS não apoiou a reeleição do senador à presidência do Partido, e emitiu nota apoiando a operação e apuração dos fatos.

" O PP do RS jamais será guardião de possíveis malfeitos ou desvios éticos. Reafirmamos o nosso apoio à Justiça, às investigações da PF e ao trabalho do MPF no âmbito da Lava Jato." diz a nota assinada pelo presidente estadual Celso Bernardi.

O Partido disse que lamenta as acusações de corrupção contra "alguns membros da sigla", mas repete discurso da sua senadora Ana Amélia:

- A régua moral do Partido é a mesma para adversários e para correligionários.


O senador Ciro Nogueira, está em Portugal, as custas do contribuinte, com a mulher Iracema Portella deputada federal pelo Piauí.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS