Pular para o conteúdo principal

Governador Eduardo Leite palestrou na CIC em Caxias nesta quarta


O governador Eduardo Leite (PSDB) cumpriu agenda na Serra Gaúcha nesta quarta-feira, 5.

Na palestra, intitulada “Desafios e oportunidades para o RS”, realizada na CIC, Leite explicou que a palavra de ordem dessa gestão é “competitividade”. “Um Estado como o nosso, com vocação para o trabalho, tem de se colocar em condições de competir no Brasil e no mundo. Temos de trabalhar para recuperar o tempo perdido e, aqui, temos o povo gaúcho, que já sabe empreender. Precisamos dar mais espaço para esse empreendedorismo, e a resposta virá”, garantiu.

A redução dos custos logísticos, tributários e de infraestrutura, assim como a diminuição da burocracia, são alguns dos pilares elegidos pelo governo para retomar a competitividade do Estado. Leite citou o investimento de R$ 300 milhões em estradas, o programa RS Parcerias, a privatização de três estatais, os programas Descomplica RS, RS Digital e RS Sustentável, o novo Código Ambiental, a Receita 2030 e a reforma estrutural da máquina pública como algumas das ações tomadas pela gestão para buscar o ajuste fiscal e para retomar o desenvolvimento econômico do Estado. Além disso, o programa RS Seguro procura deixar a população mais segura, com investimento em prevenção, combate ao crime e inteligência.

Como próximos desafios, Leite citou a reforma tributária e a revisão das isenções fiscais. O governador agradeceu o apoio e a confiança dos empresários de Caxias do Sul. “As reformas aprovadas na Assembleia serão de grande ajuda, mas não serão, por si só, a única solução para as contas do Estado. Precisamos contar com o apoio e os investimentos da iniciativa privada e, por isso, estamos trabalhando para tornar o ambiente de negócios mais atraente no RS”, reforçou.

O presidente da CIC, Ivanir Gasparin, reconheceu a importância da Reforma RS, dos quais sete dos oito projetos foram aprovados pela Assembleia na semana passada. “Graças à coragem e à determinação do governador, conseguimos, com apoio dos deputados, derrubar esse tabu. Nossos representantes pensaram na próxima geração”, destacou. O presidente da CIC ainda entregou uma lista de demandas ao governador.

Os secretários Claudio Gastal (Governança e Gestão Estratégica), Fernando Mattos (adjunto da Inovação, Ciência e Tecnologia) e Ruy Irigaray (Desenvolvimento Econômico e Turismo) acompanharam todas as agendas na Serra gaúcha. Os deputados Carlos Búrigo, Elton Weber, Fran Somensi e Neri, o Carteiro também estavam presentes.

Após a palestra na CIC, o governador participou de reuniões com a seção do Laboratório de Referência Enológica (Laren), Comissão Interestadual da Uva, integrantes do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul e com a diretoria da Marcopolo onde também visitou a fábrica em Ana Rech.  ( Fonte: SECOM).

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Em delação premiada, o advogado Alexandre Correa Romano, da Odebrecht, contou para a Polícia Federal como manteve tórrido romance com Gleisi num hotel de luxo dos Alpes da Suíça. Lá onde o calor dos corpos costuma afastar o frio, Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT, entregou seu coração ao amante. E Paulo Bernardo, o marido traído, ficava em Brasília, seja como ministro do Planejamento, seja ocupando a cadeira principal do Ministério das Comunicações, enquanto sua estrela predileta flutuava em na realização de suas fantasias eróticas. O jornalista Mino Pedrosa conta em detalhes escandalosos as razões que estão por trás do apelido que a Odebrecht aplicou na senadora Gleisi Hoffman No rastro do advogado Alexandre Correa Romano, a Polícia Federal encontrou um flat que era utilizado para guardar dinheiro e encontros clandestinos e amorosos. Segundo documentos da Operação Lava Jato, o flat fica na rua Jorge Chamas, 334, apartamento 44, em São Paulo. Romano recebia hósp

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal

Foi apresentado nesta sexta-feira(14) para um pequeno grupo de autoridades, empresários e corretores de imóveis em Arroio do Sal, o projeto de construção do novo porto marítimo do litoral norte do RS. Um grupo de investidores russos, do Grupo Doha Investimentos e Participações SA, vai construir o porto, em Arroio Seco/Arroio do Sal. Cerca de 25 mil empregos diretos e indiretos deverão ser gerados a partir da operação do porto. Os empreendedores russos têm 1 bilhão de dólares, para investir. O dinheiro já está garantido. A ideia é aproximar o comércio brasileiro da União económica euro-asiática. Um mercado comum que abrange 170 milhões de pessoas e significa um PIB da ordem dos US$ 2,2 trilhões de euros. Atualmente, a organização é composta pela Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão e Rússia. O empreendimento vai modificar sobremaneira a realidade dos municípios do litoral norte, sem contar a valorização imobiliária prevista no entorno.

Russos querem mesmo construir porto em Arroio do Sal

O deputado federal gaúcho Bibo Nunes apresentou ao governador Eduardo Leite, sexta-feira, o protocolo de intenções que demonstra o interesse de grupos privados russos em investir um total de R$ 3,56 bilhões na construção de um porto em Arroio do Sal, Litoral Norte do RS. O investimento, inicialmente projetado em cerca de 1 bilhão de dólares pelo secretário do Meio Ambiente, Agropecuária e Pesca de Arroio do Sal, Luis Schmidt, pode chegar a US$ 2,8 bilhões. A prefeitura já concedeu viabilidade econômica para o projeto. São necessárias outras liberações. Além dos investidores russos, há investidores brasileiros, como a Doha, com experiência em portos, o Grupo Del Rio, a IG Consultoria e a GS Business. A intenção do grupo, segundo o prefeito Bolão, é instalar a pedra fundamental da obra em março de 2020.