Bolsonaro disse que o Brasil terá quarentena só para idosos. Será um erro gravíssimo!

Resultado de imagem para bate boca doria e bolsonaro
Em choque com os governadores e outras autoridades da saúde no Brasil, Bolsonaro tenta impor uma autoridade que agora não tem. Aliás, nos últimos dias a sua credibilidade e capital político tem desintegrado. Na manhã desta quarta-feira ele disse que o Brasil terá quarentena só para idosos com comorbidade. Disse que vai pedir ao ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) que seja feito um “isolamento vertical” dos grupos de risco para o novo coronavírus. Mandetta deveria pedir demissão. Aliás todos no Ministério da Saúde deveriam sair em massa, em protesto. Acho que farão isso.

O presidente foi criticado por diversas autoridades depois de defender a diminuição das restrições para combater a covid-19. Bolsonaro deu as declarações na saída do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência. O presidente ainda disse que “o que os governadores estão fazendo é um crime”. O maior incômodo de Bolsonaro é com os governadores do Rio, Wilson Witzel (PSC), e de São Paulo, João Doria (PSDB).

Tanto que na última teleconferrência realizada há pouco entre o presidente Jair Bolsonaro e os governadores do Sudeste foi marcada por um bate-boca entre o chefe do Executivo nacional e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Inicio lamentando os termos do seu pronunciamento à nação. Nós estamos aqui, os quatro governadores do Sudeste em respeito ao Brasil e aos brasileiros e em respeito ao diálogo e ao entendimento. O senhor, como presidente da República tem que dar o exemplo. Tem que ser mandatário para comandar, para dirigir, liderar o país e não para dividir”, disse o governador. 

Doria ameaçou ir à Justiça contra o governo federal caso haja o confisco de qualquer equipamento ou insumo que seja necessário para o combate ao novo coronavírus

Doria, claro, mesmo com segunda intenções acabou por ser o porta voz de muitos que neste momento demonstram contrariedade à Bolsonaro.

De qualquer forma, é bom lembrar que nos Estados Unidos, por exemplo, 38% dos hospitalizados tem entre 20 e 54 anos e mais de 40% dos que testaram positivo para o coronavírus são jovens. Ou seja, esses não irão morrer, mas estão lá sendo atendidos e ocupando uma vaga que provavelmente seria necessária para atender os grupos de risco.

POSTAGENS MAIS VISITADAS